Torne-se perito

Hospital São João detecta Legionella no serviço de obstetrícia

"Não existe, nem existiu, qualquer caso de doença em utentes ou profissionais", garante o hospital de São João. A actividade no serviço decorre com total normalidade e segurança, acrescenta.

Foto
Rui Farinha / NFactos

O Centro Hospitalar de São João (CHSJ), no Porto, revelou nesta segunda-feira ter sido detectada a presença da bactéria Legionella em alguns pontos de água no serviço de obstetrícia, garantindo que não existem casos de doença em utentes ou profissionais.

"Não existe, nem existiu, qualquer caso de doença em utentes ou profissionais e a actividade no serviço decorre com total normalidade e segurança. Foi dado conhecimento da ocorrência e do plano correctivo à Autoridade de Saúde", refere o CHSJ em comunicado.

Na nota, o hospital explica que "no âmbito da vigilância regular da qualidade da água realizada no Centro Hospitalar Universitário São João foi detectada a presença de Legionella em alguns pontos de água no serviço de obstetrícia"

Garante que "apesar da quantificação da carga bacteriana mostrar valores muito baixos", foram postos em execução os procedimentos de desinfecção de "todo o circuito de abastecimento de água".

Os responsáveis do hospital apontam que a desinfecção, química e térmica, dos pontos terminais e de todo o circuito de abastecimento de água ficará concluída esta noite.

O objectivo é "garantir a eliminação" da bactéria, tendo o CHSJ garantido que manter-se-á a "monitorização, no serviço e em todo o hospital, dos parâmetros físico-químicos da água, nomeadamente cloro e temperatura, de modo a prevenir o desenvolvimento de novas contaminações".

A Legionella é a bactéria responsável pela doença dos legionários, uma forma de pneumonia grave, contraída por via respiratória, através da inalação de gotículas de água contaminada.

Sugerir correcção