Há apenas 16 professores com menos de 30 anos nas escolas públicas do 1º ciclo

Relatório em que a Direcção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência traça o Perfil do Docente 2016/2017 mostra cenário ainda mais grisalho na educação pré-escolar pública, onde 74% dos educadores têm 50 ou mais anos de idade.

Foto
No 1º ciclo do sector privado, havia 10% de docentes com menos de 30 anos de idade NFACTOS / FERNANDO VELUDO

O progressivo envelhecimento da classe docente portuguesa vem sendo há muito documentado em diferentes relatórios. Não deixa ainda assim de surpreender o facto de apenas 16 dos 24.435 professores do 1.º ciclo do ensino básico colocados em escolas públicas terem menos de 30 anos de idade.

No privado, o cenário é um pouco menos grisalho: há 289 docentes, num universo de 2847 docentes (10%), que não tinham passado ainda a curva etária dos 30, em 2016/2017, ano lectivo a que se refere o relatório “Perfil do Docente”, divulgado esta quarta-feira pela Direcção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC).

Com apenas alguns cálculos básicos, os números permitem concluir que os professores do 1.º ciclo nas escolas públicas do continente com menos de 30 anos de idade não chegam a 0,1% do total. Ainda no 1.º ciclo do básico, há 9298 docentes com 50 ou mais anos de idade nas escolas públicas, o que perfaz 38% do universo total.

Na educação pré-escolar, o envelhecimento tornou-se igualmente agudo. Há 8133 educadores de infância no sector público, dos quais apenas 13 (0,1%) têm menos de 30 anos. No reverso da medalha, sobressaem os 6034 educadores de infância com 50 ou mais anos de idade, o que perfaz 74% do total.

Ainda no pré-escolar, mas no sector privado, os educadores de infância mostram-se bem menos envelhecidos: há 523 profissionais com menos de 30 anos, ou seja, 7,8% dos 6728 educadores com funções em estabelecimentos privados. Já os docentes com 50 ou mais anos de idade no pré-escolar do sector privado não passam dos 18,2%. 

Idade média nos 52 anos no pré-escolar

Quanto à idade média dos docentes do sector público no pré-escolar, é de 52 anos de idade, segundo a DGEEC (no privado, a idade média varia entre os 42 e os 40 anos, consoante os estabelecimentos sejam dependentes ou independentes do Estado).

Nos restantes níveis de ensino, o cenário não é muito diferente. No 1.º ciclo, e ainda no sector público, a idade média dos docentes atinge os 47 anos (39 anos, no sector privado), agravando-se para os 50 anos de idade no 2.º ciclo do ensino básico (42 no privado). No 3.º ciclo do ensino básico e no secundário, a idade média dos profissionais desce ligeiramente para os 49 anos (no privado é de 43). 

Na análise à evolução da distribuição dos docentes por grupo etário, no somatório dos sectores público e privado, os números da DGEEC permitem observar que os educadores de infância com menos de 30 anos eram 12,6% do total, no ano lectivo 2006/2007, tendo baixado, dez anos depois, para os 3,6%. Os profissionais com 50 ou mais anos de idade, por seu turno, aumentaram de 13,1% para 48,8%, no mesmo período. 

No 1.º ciclo do básico, os docentes abaixo dos 30 anos de idade, que representavam 14,5% do total em 2006/2007, baixaram entretanto para os 1,1%. Na outra ponta da pirâmide etária, a dos docentes com 50 ou mais anos de idade, a representatividade aumentou dos 24,9% para os 35,6%. 

Já no 2.º ciclo do básico, os quinquagenários ou mais eram quase metade do universo total de docentes: 49,6%. Por último, no 3.º ciclo do básico e no secundário o seu peso diminuiu ligeiramente para os 45,2%.