Vídeo do Salão Erótico de Barcelona denuncia “porno machista” como fábrica de violadores

Poderia escrever-se que o vídeo impactante veio de onde menos se esperava, mas a verdade é que esta não é a primeira vez que o Salão Erótico de Barcelona surpreende com os seus spots publicitários: se em 2016 denunciava a Espanha como um "um país asquerosamente hipócrita", desta vez vem falar da própria indústria onde se insere. A pornografia machista, dizem, “continua a ser a única aula de educação sexual a que assistiu o teu filho e a tua filha”. E isso é um enorme problema.

Num vídeo de cerca de um minuto e meio, que já se tornou viral, a actriz Silvia Rubi fala da falta de educação sexual na sociedade espanhola e das consequências dessa realidade. “Numa sociedade sem educação sexual, o porno é o teu livro de instruções”, diz, para logo acrescentar que, “enquanto assim for, continuaremos a fabricar violadores". Nos vídeos porno, continua, aprende-se que alguém com um decote acentuado é uma vítima em potência, que uma mulher embriagada representa “uma oportunidade”, que se ela não apresentar resistência não é uma violação. 

Enquanto a pornografia “mais machista” for a única aula de educação sexual dos jovens e adultos, o problema continuará, lamenta a actriz no vídeo. E se nada muda na sociedade, algo se pode fazer na indústria, apelam: “Numa sociedade sem educação sexual era obrigatório que o porno mudasse.”

O vídeo é divulgado numa altura em que Portugal discute também a cultura de violação, depois da polémica decisão do Tribunal da Relação do Porto sobre uma mulher violada numa discoteca. Entre esta quarta-feira e sexta, sob o lema “Não aceitamos uma justiça machista!", há várias manifestações marcadas para Porto (dia 26), Coimbra (27) e Lisboa (28).

Sugerir correcção