Seis mortos em colisão frontal no IC8, perto de Pombal

Nenhum ocupante das duas viaturas sobreviveu à colisão. O trânsito esteve cortado nos dois sentidos durante horas e foi reaberto ao início da tarde.

Fotogaleria
O local do acidente LUSA/PAULO CUNHA
Fotogaleria
LUSA/PAULO CUNHA
Fotogaleria
LUSA/PAULO CUNHA
Fotogaleria
LUSA/PAULO CUNHA

Uma colisão frontal entre dois veículos, na manhã desta segunda-feira no IC8, provocou seis mortos, segundo confirmou ao PÚBLICO o chefe da secção de operações da GNR de Leiria, João Fernandes. Inicialmente tinha sido avançado pelas autoridades que existiam oito vítimas mortais, mas o número foi corrigido por volta das 10h.

As seis vítimas tiveram morte quase imediata, disse à Lusa o comandante dos Bombeiros Voluntários de Pombal, Paulo Albano. O trânsito esteve cortado nos dois sentidos durante cinco horas e foi reaberto ao início da tarde.

O acidente aconteceu ao quilómetro 34, perto da localidade de São João da Ribeira (Leiria), e os corpos já foram todos desencarcerados das duas viaturas — nenhum ocupante sobreviveu ao acidente. 

“Logo que os primeiros meios chegaram ao local, perceberam que dificilmente iriam conseguir retirar alguém com vida. Os [ocupantes dos veículos] que se conseguiram de imediato avaliar já estavam em paragem cardiorrespiratória. E não encontrámos ninguém com sinais vitais”, revelou Paulo Albano, ao salientar que a principal preocupação foi de “imediato tentar perceber se havia alguém com vida e conseguir criar espaço para fazer essa avaliação”.

O acidente deu-se entre duas carrinhas, uma com capacidade para transportar sete pessoas e outra com capacidade para seis pessoas. O Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Leiria refere que estão em causa duas viaturas ligeiras de mercadorias.

Paulo Albano informou que os trabalhos de desencarceramento foram demorados, uma vez que o embate “provocou deformação em ambos os veículos” e “todo o habitáculo dos passageiros foi destruído”. A destruição das duas carrinhas é evidente nas fotografias tiradas no local.

O comandante do Destacamento de Trânsito de Leiria da GNR, Daniel de Matos, afirmou à Lusa que um dos veículos envolvidos no acidente tinha sido fiscalizado por uma operação stop da GNR, cerca de “20 a 30 minutos” antes, não tendo sido detectado “nada de grave”.

O tenente Daniel de Matos indicou que as vítimas são seis homens, seguindo quatro na viatura no sentido Pombal-Figueira e as restantes no sentido contrário.

No local estiveram pelo menos 33 operacionais (dos bombeiros, INEM e GNR) apoiados por 13 viaturas, esclarece ao PÚBLICO fonte do CDOS de Leiria. O alerta para o acidente foi dado às 7h04 e uma fonte dos bombeiros de Pombal afirmou ao PÚBLICO que o acidente era “muito grave”.

As causas do acidente vão ser investigadas pelo Núcleo de Investigação da GNR, que apenas avança o que foi constatado no local: a viatura que seguia no sentido Pombal-Figueira da Foz entrou na faixa de rodagem contrária e colidiu de frente com o outro veículo ligeiro de mercadorias, tendo-o arrastado cerca de 12 metros.

Os veículos, segundo a GNR, pertenciam a duas empresas, uma de construção civil e outra de pavimentos, do concelho de Pombal.

Fonte do INEM disse à Lusa que os meios de apoio médico das unidades do centro e do Porto foram para o local para apoio psicológico aos familiares.

Com o acidente desta segunda-feira subiu para dez o número de mortos naquela via desde o início de 2018. Outras cinco pessoas ficaram gravemente feridas em acidentes no IC8, e outras 22 sofreram ferimentos ligeiros, segundo um balanço da GNR citado pela Lusa.

O IC8 faz a ligação entre a A17, junto ao Outeiro do Louriçal (Pombal), e a A23, perto de Vila Velha do Ródão.