Trânsito condicionado em Lisboa com taxistas contra a "lei da Uber"

Manifestações em quatro cidades vão condicionar o trânsito nesta quarta-feira. Os protestos têm início às 05h.

Foto
Rui Gaudêncio

As associações representativas dos taxistas marcaram para esta quarta-feira uma manifestação nacional contra a promulgação pelo Presidente da República do diploma que regula as plataformas electrónicas de transporte como a Uber, Cabify e Chaffeur Privé. Em Lisboa, os taxistas vão fazer um percurso entre Praça dos Restauradores e a Avenida da República. Haverá também concentrações distritais no Porto, em Braga e em Faro.

A Praça dos Restauradores e a Avenida da Liberdade estarão cortadas ao trânsito, a partir das 5h — coincidindo com o início do protesto. Os taxistas não pretendem bloquear completamente o trânsito, e por isso deixarão espaço para que veículos de emergência, polícia e transportes colectivos consigam passar na faixa da direita. Também os cruzamentos ficarão abertos. 

No entanto, é previsível que o protesto condicione o trânsito. Por isso, recomenda-se que as pessoas utilizem transportes públicos. A Câmara de Lisboa já anunciou que vai reforçar os autocarros de e para o Aeroporto Humberto Delgado, assim como as carreiras 783 da Carris (Aeroporto-Marquês de Pombal) e os Aerobus 1 e 2 da Carristur.

No Porto, a manifestação irá começar junto à Câmara Municipal, e os táxis ficarão estacionados ao longo da Avenida dos Aliados. Em Faro, a concentração começa no aeroporto e continua pela estrada nacional 125/10.

A paralisação do sector do táxi foi inicialmente agendada para 11 de Setembro, mas adiada para esta quarta-feira para coincidir com o dia que marca o regresso dos deputados aos trabalhos da Assembleia da República.

A decisão de convocar a manifestação foi tomada durante uma reunião entre o presidente da Associação Nacional dos Transportes Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL), Florêncio Almeida, e o presidente da Federação Portuguesa do Táxi (FPT), Carlos Ramos, e tem como objectivo travar a “desequilibrada” regulamentação dos transportes em veículos descaracterizados.

Os taxistas pretendem impedir que a lei entre em vigor a 1 de Novembro. A Assembleia da República aprovou, a 12 de Julho, uma segunda versão da lei — após o veto presidencial — para as plataformas electrónicas de transporte, com os votos a favor do PS, PSD e PAN, e com os votos contra do BE, PCP e Os Verdes. O CDS-PP foi a única bancada parlamentar a abster-se na votação do diploma.

Trânsito condicionado

Em Lisboa, a concentração começa às 5h na Praça dos Restauradores. A partir daí segue para a Avenida da Liberdade, Marquês de Pombal, Fontes Pereira de Melo, Saldanha até à Avenida da República, detalha a ANTRAL.

O protesto deverá também chegar até à Assembleia da República.

No Porto, a concentração acontece pelas 6h junto à câmara municipal, na Avenida dos Aliados.

Já em Faro o protesto decorrerá às 7h, Estrada Nacional 125/10, junto ao aeroporto.

Ouça o podcast Poder Público sobre o tema.