Ministra de Saúde espanhola demite-se sob suspeita de mestrado irregular

Diploma foi obtido na Universidade Rei Juan Carlos de Madrid, a mesma frequentada pelo líder da oposição conservadora, Pablo Casado, também sob suspeita de irregularidades académicas.

Foto
Carmen Montón anunciou a demissão esta terça-feira LUSA/JUANJO MARTIN

A ministra espanhola da Saúde, Consumo e Bem-Estar Social, Carmen Montón, anunciou nesta terça-feira a sua demissão após a divulgação de notícias sobre supostas irregularidades na obtenção do seu diploma de mestrado pela Universidade Rei Juan Carlos de Madrid. A socialista, que nega ter cometido qualquer infracção, terá como sucessora María Luisa Carcedo, actual alta comissária contra a pobreza infantil.

Segundo jornal online espanhol eldiario.es, Montón iniciou o mestrado em Estudos de Género quatro meses após o início oficial do ano lectivo e pagou a matrícula três meses após o prazo. A televisão La Sexta acrescenta que 19 das 52 páginas da sua tese foram plagiadas de outros autores, havendo ainda informação copiada da Wikipédia. Há ainda discrepâncias entre as datas e as notas indicadas no diploma e a informação que consta no processo académico interno, para além de dúvidas sobre o regime de frequência (presencial ou online) e sobre se o número de créditos curriculares somados por Montón seriam suficientes para a conclusão do curso.

O primeiro-ministro socialista Pedro Sánchez terá tentado segurar Montón até ao último momento, e a própria começou por dizer à imprensa que não se demitiria, mas a ministra acabou por anunciar a saída do Governo para "não prejudicar" o Executivo. Diz-se de "consciência muito tranquila" e insiste que não cometeu "nenhuma irregularidade".

Este é já o segundo membro do Governo de Sánchez a demitir-se em pouco mais de 100 dias. Montón junta-se a ainda uma lista crescente de nomes sob suspeita que têm como denominador comum a Universidade Rei Juan Carlos de Madrid, e que estão a ser investigados pela Justiça. 

O líder da oposição, o popular Pablo Casado, também é acusado de ter deter um diploma irregularmente obtido na mesma universidade.