PSD e Bloco perdem influência depois das férias

Sondagem da Aximage para o Correio da Manhã e o Jornal de Negócios dá, em Setembro, o pior resultado de sempre a Rui Rio enquanto líder do PSD. BE também desceu.

Popularidade de Rui Rio piorou depois das férias
Foto
Popularidade de Rui Rio piorou depois das férias LUSA/Luís Forra

Não é possível atribuir a descida do PSD na sondagem da Aximage às férias de Rui Rio, à ruptura de Santana Lopes com o seu partido de sempre ou ao frenesim do CDS. Mas é um facto: entre Julho e Setembro, o PSD perdeu 3,1 pontos percentuais na intenção de voto dos 603 inquiridos por telefone (281 homens e 322 mulheres), entre os dias 1 e 2 de Setembro.

Além do PSD e do Bloco de Esquerda (que baixou de 9,5 para 7,8%), nenhum dos restantes partidos perdeu pontuação (apenas desceram também os indecisos e a abstenção). O PS subiu de 39% em Julho para 39,9% em Setembro; o CDS passou de 7,4 para 9,2%, protagonizando o maior crescimento; e a CDU aumentou apenas 0,1% (está agora nos 7,1%). Os votos considerados "outros, brancos e nulos" também aumentaram de 7,6 para 10%.

PÚBLICO -
Aumentar

Na avaliação dos líderes partidários, António Costa está agora nos 11,9 pontos (chegou a ter mais de 13 em Abril) e Rui Rio continua atrás, com 9,2 (tinha 10,6 em Julho), o que é o seu pior resultado desde que chegou à presidência do PSD. Não se pode dizer que as férias tenham ajudado à popularidade dos líderes.

E mesmo Marcelo Rebelo de Sousa, que mantém uma boa nota, vem perdendo pontos. Numa escala de 0 a 20, o Presidente da República tem uma avaliação de 17,1, em Setembro, o que demonstra uma ligeira descida desde Março, altura em que obteve a nota mais alta: 18,5 valores.

Ao nível do Governo, Mário Centeno (Finanças) é considerado o melhor ministro, enquanto o detentor da pasta da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, é o pior.