Líder separatista de Donetsk morto em ataque à bomba

Governo russo responsabiliza autoridades ucranianas, acusando-as de terem dado início a um "massacre sangrento".

Foto
Aleksander Zakhartchenko era o líder político dos separatistas de Donetsk Reuters/MAXIM ZMEYEV

O líder da república separatista de Donetsk, no Leste da Ucrânia, Aleksander Zakhartchenko, foi morto nesta sexta-feira na sequência de uma explosão num café no centro da cidade. O Governo russo culpa as autoridades ucranianas e diz tratar-se de um atentado terrorista.

A notícia da morte do presidente da região foi confirmada por um deputado local em declarações à agência russa RIA Novosti.

Foram detidos alguns suspeitos num local próximo da explosão, segundo uma fonte próxima das forças de segurança rebeldes.

Zakhartchenko era o líder da autoproclamada "República Popular de Donetsk", uma das duas regiões ucranianas que declarou a independência de forma unilateral em 2014, após a queda do Presidente ucraniano Viktor Ianukovitch. Desde então os rebeldes que controlam Donetsk e Lugansk têm combatido o Exército ucraniano. Kiev acusa a Rússia de apoiar militarmente os separatistas, embora Moscovo negue.

As hostilidades são praticamente inexistentes há já vários meses, com a excepção de algumas trocas de tiros e confrontos esporádicos.

O Governo russo acusou as autoridades ucranianas de serem responsáveis pelo homicídio de Zakhartchenko e de terem dado início a um "massacre sangrento", segundo a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Maria Zakharova.

Para além do líder separatista, também o responsável pelas finanças da região, Aleksander Timofeev, foi atingido pela explosão, tendo ficado ferido.