Palcos da semana

Tecidos de arte contemporânea, vídeo-arte de resistência e música entre um bosque, uma cidade e o Brasil.

Foto
Peça de Ann Hamilton DR

Arte
Para tecer o (in)orgânico

Chega à quarta edição o certame que tem como objectivo colocar o têxtil no contexto da arte contemporânea. Procurando entretecer a cultura com a indústria e o tradicional com o moderno, a Contextile - Bienal de Arte Têxtil Contemporânea em Guimarães manifesta-se em actividades que vão de residências a exposições – incluindo uma competitiva, em que participam 52 artistas de 26 países –, passando por intervenções públicas, workshops, debates, conversas, visitas guiadas e oficinas para alunos do concelho. (In)Orgânico é o fio temático que unifica o programa e que é seguido também pelas artistas convidadas deste ano: a israelita Dvora Morag, repetente na bienal, que contribui com o projecto Between Heaven and Earth, e a norte-americana Ann Hamilton, que criou uma intervenção de grande escala especificamente para a cidade e para a ocasião.

GUIMARÃES Vários locais
De 1 de Setembro a 20 de Outubro.
Bilhetes de 3€ a 5€ para Centro Cultural Vilar Flor, Palacete Santiago e Centro Internacional das Artes José de Guimarães; grátis nos restantes locais e para crianças até 12 anos

 

PÚBLICO -
Foto
Rita GT

Vídeo-arte
Ao décimo Fuso, a resistência

Jardins, terraços, claustros de museus e outros locais da capital são tomados pelo Fuso - Anual de Vídeo-Arte Internacional de Lisboa, um evento único em Portugal nesta área. Conduzida pelo tema (R)evolução e (r)e(x)sistência, a décima edição oferece telas a nomes firmados como Daniel Blaufuks – que abre o festival-exposição com Mein Kampf –, enquanto promove os novos talentos seleccionados na secção Open Call e lembra outros que foram premiados em edições anteriores. A curadoria é dominada por mulheres: Marta Mestre, Bernardette Caille, Lori Zippay, Kiki Mazzucchelli, Evanthia Tsantila e Reem Fada.

LISBOA Travessa da Ermida, MAAT, MNAC - Museu do Chiado, Museu Nacional de Arte Antiga, Museu Nacional de História Natural e da Ciência, Museu da Marioneta
De 28 de Agosto a 2 de Setembro.
Grátis

 

PÚBLICO -
Foto
Throes + The Shine DR

Música
"Indiegentes" no bosque

Música para indie gente. É este o lema de um evento que se apresenta como um microfestival e que aposta fortemente na produção nacional. Na sua sexta edição, o Indie Music Fest acolhe no Bosque do Choupal o rockuduro de Throes + The Shine, o hip-hop de Mundo Segundo, a singularidade de Conan Osiris, os all stars Keep Razors Sharp, a cantautoria de Luís Severo e a Indumentária de Filipe Sambado, entre muitos outros. A música não é o único chamariz: as propostas incluem mergulhos na piscina, compras num mercado alternativo e outras actividades.

PAREDES Bosque do Choupal (Baltar)
De 30 de Agosto a 1 de Setembro.
Bilhetes diários de 10€ a 15€; passe a 30€

 

PÚBLICO -
Foto
Rodrigo Ferreira

Música
Sons pela cidade

No Zigurfest também é a música portuguesa a chamar a atenção, mas de forma diferente. Por um lado, aponta mais o foco a novas tendências – foi com este objectivo que nasceu, em 2011 –, sem enquadrar estilos específicos. Por outro, instala-se no centro de uma cidade, Lamego. Ao todo, são 24 concertos, entregues a gente com Zarabatana, Dullmea, Terra Chã, Mathilda, Sereias, Savage Ohms, Ângela Polícia, Vaiapraia e as Rainhas do Baile, Lavoisier, Moon Preachers, Sei Miguel ou Allen Halloween. Os palcos são vários e podem ir do castelo às ruas, com passagem pelo Museu de Lamego ou a adornada Capela de Nossa Senhora da Esperança.

LAMEGO Vários locais
De 29 de Agosto a 1 de Setembro. Programa em http://zigurfest.zigurartists.com.
Grátis

 

PÚBLICO -
Foto
Azymuth Marcus Schaefer/Divulgação

Música
B.Leza com história

Em Lisboa, o destaque vai para uma noite de música brasileira com ecos históricos. Marcos Valle, ecléctico e influente músico da segunda geração da bossa nova, faz-se acompanhar pelos Azymuth – algo que acontece pela primeira vez fora do seu país. Com quase cinco décadas dedicadas a envolver o jazz em samba, funk e outros balanços, a banda tornou-se cúmplice de Valle nos anos 1970 e foi determinante para o seu percurso. Este espectáculo inclui uma homenagem a um membro original dos Azymuth: o teclista José Roberto Bertrami (1946-2012). É Fernando Moraes quem ocupa o lugar no trio, ao lado do contrabaixista Alex Malheiros e do baterista Ivan Conti.

LISBOA B.Leza
Dia 30 de Agosto, às 22h.
Bilhetes a 20€