Facebook quer mostrar o extracto bancário no Messenger

JP Morgan, Wells Fargo e Citigroup estão entre as instituições contactadas para eventuais parcerias.

Foto
Se os planos se concretizarem, os utilizadores poderão receber no Messenger alertas de fraudes bancárias Reuters/ALY SONG

O Facebook quer dar aos utilizadores a possibilidade de consultar o seu extracto bancário e receber alertas de fraude directamente na plataforma de mensagens da rede social, o Messenger.

Os planos foram revelados pelo Facebook esta segunda-feira, depois de o Wall Street Journal ter avançado com uma notícia. De acordo com o jornal norte-americano, a rede social pediu a vários bancos norte-americanos informação sobre como disponibilizar o extracto e transacções dos clientes.

Em declarações ao PÚBLICO, um porta-voz do Facebook diz que "a ideia é que utilizar o serviço de mensagens com um banco pode ser mais que eficaz que esperar para respostas ao telefone – e é completamente opcional". A rede social critica a história do Wall Street Journal por dar a entender que o Facebook está activamente a pedir que empresas de serviços financeiros revelem dados dos seus clientes. "Isto não é verdade", diz o porta-voz da empresa que frisa que o Facebook “não usa dados de bancos ou de empresas de cartões de crédito para anúncios”, e que os pedidos faziam parte de conversações para “melhorar a experiência online das pessoas” e "garantir a segurança dos serviços". 

Bancos como o JP Morgan, a Wells Fargo e o Citigroup estão entre as instituições que foram contactadas pela rede social. De acordo com o Facebook, “conectar contas [bancárias] permite às pessoas receber actualizações, em tempo real, no Messenger, onde as pessoas podem manter o controlo de informação como o extracto bancário, recibos e actualizações sobre o estado de encomendas”.

Em 2018, a rede social – que tem 1300 milhões de utilizadores no Messenger – já conta com parcerias com algumas empresas de serviços financeiros, como a Mastercard  e a American  Express, que permitem aos utilizadores encomendar produtos directamente da plataforma onde trocam mensagens da rede social. No ano passado, a empresa de serviços financeiros Wells Fargo também começou a testar um programa de mensagens automáticas no Messenger para que os seus clientes pudessem consultar o extracto bancário e encontrar a caixa de multibanco mais próxima. A diferença em relação ao projecto agora conhecido é que este implicaria que os bancos partilhassem informação financeira dos clientes com o Facebook.

Para já, sabe-se que o JP Morgan recusou a proposta da rede social. Em declarações ao Wall Street  Journal, uma porta-voz notou que não há interesse em “partilhar informação sobre as transacções dos utilizadores fora da plataforma do banco”.

Notícia actualizada às 11 horas de dia 07.08.2018 com o comentário do Facebook ao PÚBLICO.