Ex-padre foi detido por suspeita de violação durante sessão de exorcismo

Homem de 79 anos é suspeito dos crimes de violação e burla qualificada. Pela sua actividade de exorcista, era consultado por “inúmeras pessoas em dificuldades”.

Foto
Fábio Augusto

Fazendo-se passar por padre, um homem de 79 anos é suspeito de ter violado uma mulher “especialmente vulnerável” durante uma sessão de exorcismo na passada quarta-feira, em Fátima. Foi detido nesta sexta-feira pela Polícia Judiciária de Leiria.

Trata-se, segundo apurou o PÚBLICO, de um ex-padre católico, já anteriormente suspeito da prática de crimes sexuais. Com "consultórios" abertos em Murça e perto de Fátima, é uma figura conhecida e consultada por "inúmeras pessoas em dificuldades". Em troca da ajuda pedida, cobrava honorários.

O suspeito terá aproveitado a sua actividade de exorcista e a fragilidade da vítima, cuja idade não é identificada pela PJ, para a agredir sexualmente. O comunicado desta polícia dá conta de que a vítima, “especialmente vulnerável”, foi constrangida “à prática de actos sexuais de relevo”, sem possibilidade de fugir. Foi depois levada e assistida num hospital.

Tanto quanto se sabe, apesar de todas as suspeitas o ex-padre nunca foi condenado até hoje. Morador na zona de Murça, exercia os supostos exorcismos também em Fátima. Em 2006, tinha já 67 anos, um casal de Vila Franca de Xira apresentou queixa dele ao Ministério Público de Ourém e à PSP de Fátima. Motivo: teria abusado sexualmente da mulher durante uma sessão destinada à libertação de espíritos malignos. Dois anos antes tinha sido alvo de duas queixas em quase tudo semelhantes, movidas por uma mulher do Porto e outra de Lisboa, que o procuraram em 2004 no seu consultório em Murça. Negou tudo: "São todos malucos."

A PJ espera agora que outras vítimas do suspeito possam vir a apresentar queixa dele, revelando as suas reais actividades.

Para além de estar “fortemente indiciado” pela prática de um crime de violação, é também suspeito de burla qualificada.