Governo reserva 3500 vagas no ensino superior para emigrantes

Informação sobre as vagas foi enviada a toda a rede consular e diplomática.

Númerod e candidatos está abaixo do registado no ano passado
Foto
Númerod e candidatos está abaixo do registado no ano passado Paulo Pimenta

O Governo escreveu à comunidade portuguesa emigrante para divulgar a existência de 3500 vagas disponíveis para emigrantes e seus familiares no concurso de acesso ao ensino superior, um contingente especial que em 2017/2018 apenas atraiu 273 estudantes.

Segundo uma informação enviada nesta quinta-feira pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES), "a secretária de Estado da Ciência, da Tecnologia e do Ensino Superior e o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas dirigiram uma carta às comunidades portuguesas no mundo, que foi difundida por toda a rede consular e diplomática portuguesa e divulgada também junto da comunidade académica e científica, juntamente com um folheto informativo específico sobre o referido contingente".

A carta e o folheto enviados em conjunto informam que existem 7% de vagas reservadas, na primeira fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior, para emigrantes e familiares, reforçando o processo de internacionalização do sistema de ensino superior e científico nacional como factor de motivação para o regresso a Portugal.

A medida insere-se na iniciativa Estudar e Investigar em Portugal, à qual está associada uma "plataforma de divulgação das instituições, projectos e actividades relacionadas com o ensino superior, a ciência e a tecnologia nacionais".

"No ano lectivo 2017/2018 foram colocados 273 alunos, vindos de 29 países, através deste contingente", refere a informação do MCTES.

A primeira fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior decorre até 7 de Agosto e até agora candidataram-se 38.066 alunos. O número está abaixo do registado em 2017 em igual período.