Huawei ultrapassa Apple e conquista o lugar de segunda maior marca

Pela primeira vez a fabricante dos iPhones desce para a terceira posição. Mas a analista IDC antecipa novas mexidas ao longo do ano.

A marca chinesa cresceu 41% no segundo trimestre
Foto
A marca chinesa cresceu 41% no segundo trimestre Hannibal Hanschke/Reuters

É uma mudança inédita nos lugares do pódio: a Huawei vendeu mais telemóveis no último trimestre do que a Apple, conquistando o segundo lugar na lista dos maiores fabricantes, atrás da Samsung, de acordo com números da consultora IDC. É a primeira vez em oito anos que a Apple não está num dos dois primeiros lugares.

Entre Abril e Junho, a chinesa Huawei enviou para o retalho 54,2 milhões de aparelhos, o que corresponde a 16% do mercado global e significa um crescimento de 41% em relação aos mesmos meses do ano passado.

A mudança de posição reflecte o crescimento da Huawei, tanto no mercado chinês, onde a marca foi responsável por um pouco mais de um quarto dos smartphones vendidos, como noutros mercados onde tradicionalmente tinha menos peso. “O crescimento continuado da Huawei é, no mínimo, impressionante, tal como também o é a sua capacidade para entrar em mercados onde, até recentemente, a marca era essencialmente desconhecida”, observou o analista da IDC Ryan Reith.

A Samsung mantém uma liderança confortável, com 71,5 milhões de unidades e 23% do mercado. As vendas da marca sul-coreana, no entanto, caíram 10%. Já a Apple colocou no mercado 41,3 milhões de iPhones (mais 1% do que no ano passado), o que lhe valeu uma quota de 12% do mercado.

Os números também traduzem os diferentes calendários de lançamentos das marcas. A Huawei apresentou no final de Março os modelos topo de gama P20 e P20 Pro. A Samsung prepara-se para apresentar este mês novos modelos. Já no caso da Apple, o segundo trimestre é tradicionalmente aquele onde são registadas menos vendas – a multinacional americana costuma revelar novos iPhones em Setembro, o que leva os consumidores a fazerem um compasso de espera nos meses anteriores.

“Vale a pena notar que a Apple subiu para a primeira posição em cada um dos últimos trimestres natalícios, a seguir à renovação dos seus produtos, por isso, é provável que continuemos a ver mexidas nas empresas de topo em 2018 e para lá disso”, frisou Reith.

Apesar do crescimento modesto nao número de iPhones vendidos, as receitas da Apple com estes aparelhos subiram 20%, revelou a empresa na apresentação de resultados desta terça-feira. A facturação total subiu 17%.

No global, o mercado de smartphones continua a encolher. No segundo trimestre, foram vendidos 342 milhões de unidades, menos 2% do que há um ano.

“A combinação de um mercado saturado, de um aumento das taxas de penetração dos smartphones, e de um crescente preço médio de venda continua a enfraquecer o crescimento do mercado em geral”, disse o analista da IDC Anthony Scarsella. “Os consumidores continuam disponíveis para pagar mais por opções premium em vários mercados e agora esperam que os seus aparelhos durem mais e tenham melhor desempenho do que as gerações anteriores desses dispositivos, que custavam consideravelmente menos há uns anos.”