Prémio Lux de Cinema do Parlamento Europeu anuncia três finalistas

Dois documentários e um filme de ficção estão na corrida para o prémio que será anunciado a 14 de Novembro, em Estrasburgo.

Cartaz de <i>Woman at War</i>, de Benedikt Erlingsson
Foto
Cartaz de Woman at War, de Benedikt Erlingsson DR

Os filmes Woman  at  War, de Benedikt Erlingsson, The  Other  Side  of  Everything, de Mila Turajlic, e Styx, de Wolfgang Fischer, são os finalistas do Prémio Lux de Cinema do Parlamento Europeu (PE).

Os nomeados para a 12.ª edição do prémio criado em 2007 pelo PE para distinguir filmes sobre a identidade e a diversidade cultural na Europa foram anunciados esta terça-feira em Roma, pelo seu presidente, Antonio Tajani, no decorrer da iniciativa Dias dos Autores.

Do realizador islandês Benedikt Erlingsson, Woman at War é a "alegre, inventiva, enérgica e feminista" saga de uma professora de música, que vive uma vida dupla como uma apaixonada activista ambiental, e que é surpreendida com a conclusão do processo de adopção de uma criança ucraniana.

No documentário The  Other  Side  of  Everything, a cineasta sérvia Mila Turajlic retrata a luta de um país e de uma sociedade contra o nacionalismo e pela democracia, através dos olhos de uma família sérvia.

Styx, do austríaco Wolfgang Fischer, apresenta-se primeiramente como um documentário, para depois se converter numa alegoria de um mundo polarizado pela crise dos refugiados.

O filme vencedor do Prémio Lux será anunciado a 14 de Novembro, na sessão do PE em Estrasburgo, na presença dos nomeados.

Os três filmes finalistas serão legendados nas 24 línguas oficiais da União Europeia, e serão projectados entre Outubro e Dezembro nos 28 Estados-membros.

Do Outro Lado, de Fatih Akin (Alemanha), Ida, de Pawel Pawlikowski (Polónia), e Toni Erdmann, de Maren Ade (Alemanha), são alguns dos filmes premiados em anos anteriores, em que o cinema português esteve representado, entre os nomeados, por Belle Toujours, de Manoel de Oliveira (2007); e Tabu, de Miguel Gomes (2012).

Em 2017, o vencedor foi o filme Sámi Blood, da realizadora sueca Amanda Kernell.