Passageiros de cruzeiros aumentaram 15% no primeiro semestre

Quase mais 30 mil viajantes de grandes navios passaram pela capital nos primeiros seis meses do ano em relação a igual período de 2017. A manterem-se as estimativas do Porto de Lisboa, este será o melhor ano de sempre na actividade de cruzeiros na cidade.

Navio cruzeiro, costa, forro oceano, iate luxo, mar
Foto
Ricardo Lopes

São positivos os números do primeiro semestre de funcionamento em pleno do novo Terminal de Cruzeiros de Lisboa. Tanto o número de passageiros como o de escalas registaram um crescimento acima dos dois dígitos, abrindo caminho ao cumprimento do objectivo que a Administração do Porto de Lisboa (APL) fixou para este ano: fazer de 2018 o melhor de sempre na actividade de cruzeiros na cidade

Nos primeiros seis meses do ano, foi registado um crescimento de 15% em passageiros e de 11% em escalas, para um total de 221.072 passageiros e 148 escalas, contra os 192.685 passageiros e 133 escalas registadas no período homólogo de 2017, informou a APL esta segunda-feira. 

Em comunicado, o Porto de Lisboa explica que este aumento se deveu a um aumento de 5% (20.518 contra 19.468) dos passageiros em turnaround  — onde decorre embarque e desembarque de passageiros —, e de 16% dos passageiros em trânsito que passaram de 173.217 para 200.554.

O crescimento do segmento de turnaround, justifica a APL, é resultado da entrada em funcionamento do novo Terminal de Cruzeiros de Lisboa, inaugurado em Novembro, que, dada a sua localização no cruzamento das principais rotas - mediterrâneo, báltico, transatlântico, Atlântico –, “lhe confere vantagens acrescidas relativamente a outros portos”, em particular para o início da época de cruzeiros no Mediterrâneo e para as viagens de reposicionamento. 

No número de escalas, a APL diz que o crescimento de 11% foi impulsionado pela variação positiva ocorrida em todos os tipos de operações – trânsito (103 para 97), turnaround (40 para 33) e interporting — permite o embarque e desembarque de passageiros em portos que não são os de origem e ou chegada — (três para cinco).

De Janeiro a Junho, registaram-se ainda 26 travessias transatlânticas contra as 19 ocorridas em igual período do ano passado.

Se se confirmarem as previsões da APL, 2018 será o melhor ano de sempre na actividade de cruzeiros na cidade. É esperado um crescimento de 15% no número de passageiros, atingindo-se os 600 mil, e de 6% nas escalas, com o Porto de Lisboa a estimar receber cerca de 350 navios. 

O novo Terminal de Cruzeiros de Lisboa, da autoria do arquitecto Carrilho da Graça, foi inaugurado em Novembro, já depois de ter recebido os primeiros passageiros. O novo terminal ocupa uma área de 13.800 metros quadrados, dividida por três andares, construídos com uma técnica inovadora de agregado de cortiça e betão que possibilita o isolamento térmico e acústico.

O novo cais tem 1490 metros o que permite receber cruzeiros de média dimensão, com um calado (distância entre a quilha do navio e a linha de flutuação) até 12 metros. O acesso aos navios é feito através de duas mangas (semelhantes às dos aeroportos), ligadas a uma passerelle com 600 metros. 

O projecto, iniciado em 2007 pela APL, no âmbito das Orientações Estratégicas para o Sector Marítimo Portuário, ficou a cargo da Lisbon Cruise Terminals que detém a concessão do terminal de cruzeiros desde 2014. E envolveu um investimento público de 54 milhões de euros, suportados pela APL, para a construção de um novo cais e a reabilitação do existente, e privado de quase 23 milhões.