Barcelona já é vista como alternativa a Lisboa

A Madeira quer também uma terceira companhia a operar a linha Funchal-Lisboa e já se fala num hub na Catalunha como vantajoso em relação ao Humberto Delgado.

,
Foto
DRO DANIEL ROCHA

O Governo Regional da Madeira, que anunciou esta semana ir processar a TAP por danos ao turismo, também tem queixas dirigidas à ANA e ao que considera ser o estrangulamento do aeroporto de Lisboa. A Madeira quer também uma terceira companhia a operar a linha Funchal-Lisboa, para fazer concorrência à TAP e à EasyJet, mas essa vontade tem esbarrado na capacidade de resposta do Humberto Delgado.

“Continuamos a assistir a dificuldade em conceder slots [lugares disponíveis nos aeroportos para os aviões estarem parqueados] para a Madeira e, quando há slots, a justificação passa a ser a falta de espaço para navegação aérea”, protestou recentemente o número dois do governo madeirense, Pedro Calado.

No arquipélago, que tem no aeroporto a única porta de entrada para as cerca de 40 mil camas turísticas existentes, há quem defenda uma mudança mais radical. António Trindade, CEO do grupo PortoBay, defende que a região desista de Lisboa e aposte num novo hub. Pode ser no Porto, mas também pode ser fora do país. “O hub nacional está esgotado, penalizando a Madeira e o próprio país”, por isso, Trindade considera que Barcelona é uma boa alternativa.

O hoteleiro, que é pai de Bernardo Trindade, antigo secretário de Estado do Turismo e actual administrador não-executivo da TAP, justifica a urgência em encontrar uma alternativa a Lisboa, com o aumento da capacidade hoteleira já no próximo ano. Vão ser necessários mais 15 voos semanais, e Lisboa não tem capacidade de resposta.

Também nos Açores, a situação no Humberto Delgado tem reflexos. Uma operação diária de carga Ponta Delgada-Lisboa, que está a ser montada para arrancar este Verão, tem sentido dificuldades em encontrar disponibilidades em Lisboa.