Sete ideias para sair esta semana

Siga a festa entre barcos a remos, bolas de Lamego, sons, retratos e humor.

Remo
Foto
DR

Todos a bordo

Lisboa, Lago do Campo Grande
Dia 16 de Junho 

Partir à conquista do lago… num barco a remos. Ao desafio lançado pela 6.ª Regata de Barquinhos a Remos chega meia centena de equipas, trajadas a rigor. Nesta competição náutica as milhas fazem-se em pequenas embarcações e a tripulação (que deverá ter entre dois e quatro elementos) entra na corrida com o espírito que se impõe: com um lema, adereços, imaginação e a ambição de levar a taça para casa. A ideia tem o cunho de Fernando Alvim que apresenta a prova em conjunto com Xana Alves e Catarina Moura. Às 17h, a cereja no topo do bolo, neste caso no meio do lago, com o concerto dos lisboetas Capitão Fausto. Quem não quiser participar na regata pode ficar nas margens a ver passar barquinhos e a torcer pelas "delícias do mar, bravos marujos e sensuais sereias" que por ali andam.
Horário: sábado, às 14h30.
Grátis

PÚBLICO -
Foto
DR

Feira da Bola

Lamego, Avenida Dr. Alfredo de Sousa
Até 17 de Junho 

Há as mais tradicionais, de presunto, carne ou bacalhau, e as propostas que arriscam combinações com sabores como frango de caril, marmelada ou chocolate. A cultura da bola volta a estar em destaque nesta feira que dá a conhecer a riqueza gastronómica do concelho numa montra com vista para o Santuário de Nossa Senhora dos Remédios. Para além do produto estrela, a décima edição do certame traz consigo a Feira dos Sabores, Néctares e Tradições de Lamego, onde se mostram licores, fumeiros, vinhos e artesanato local, bem como a Exposição Canina Nacional, agendada para o último dia, que reúne 400 animais de criadores nacionais e internacionais.
Horário: 
sábado e domingo, das 17h às 22h.
Grátis

PÚBLICO -
Foto
Bruno Portela

Você Não Está Aqui

Lisboa, Parque das Nações
Até 30 de Setembro 

De sucata e território abandonado a espaço de referência na cidade de Lisboa, o Parque das Nações é um exemplo de renascimento e transformação urbana. Duas décadas volvidas, a propósito das comemorações dos 20 Anos da Expo’98, mostra-se o antes e o depois da zona oriental alfacinha, captado pela lente de Bruno Portela. Entulho, barcos podres, contentores, barracas, poças de lodo e bidões de petróleo fazem parte de Você Não Está Aqui, a exposição que documenta as memórias e ajuda a contar a história através de 78 fotografias de grande escala espalhadas por sete núcleos: Torre Galp, Oceanário, Pavilhão de Portugal, Centro Comercial Vasco da Gama, Pavilhão Atlântico, Torre Vasco da Gama e Ponte Vasco da Gama. A curadoria é de Francisco Leong e José Manuel Ribeiro, os textos são assinados por João Paulo Cotrim, numa produção com o carimbo EGEAC. No primeiro domingo de cada mês, às 10h30, há visitas guiadas e comentadas pelo fotógrafo e pelos convidados João Paulo Velez (1 de Julho), Ana Sousa Dias (5 de Agosto) e Rui Cardoso Martins (2 de Setembro). Nas palavras do autor, "uma cidade pode esconder outra: cuidado a atravessar".
Horário: todos os dias.
Grátis

PÚBLICO -
Foto
DR

Santuários e prisões

Lisboa, Estúdio 1 da Tóbis (Lumiar)
De 19 a 24 de Junho

Depois da passagem por campos de refugiados europeus, o sul-africano Brett Bailey e a sua companhia Third World Bunfight apresentam Sanctuary, uma performance-instalação estreada em parceria com o Teatro Maria Matos, no âmbito do Ciclo Migrações. Em cena, uma prisão labiríntica onde o artista recria episódios com refugiados e migrantes vindos de várias latitudes para pensar as questões e condições da mobilidade. Uma experiência que reflecte o limbo em que muitas pessoas vivem diariamente e a xenofobia, exclusão e violência de que são alvo. Ao público pede-se que se aproxime: que percorra esta "jornada virtual através do terreno surreal de uma União Europeia em crise" e que se sensibilize com a "visão alternativa à narrativa oficial dos políticos sobre as migrações". Histórias na primeira pessoa, com materiais reais.
Horário: terça a sexta, entradas às 19h, 19h15, 19h30, 19h45 e 20h; sábado e domingo, entradas às 21h, 21h15, 21h30, 21h45 e 22h.
Bilhetes de 6€ a 12€

PÚBLICO -
Foto
Nardi

Traços de humor

Caldas da Rainha, Centro Cultural e Congressos
Até 28 de Julho

Referência no mundo do humor gráfico de imprensa, a exposição World Press Cartoon regressa para apresentar os melhores trabalhos produzidos e publicados em jornais e revistas nas áreas de cartoon editorial, caricatura e desenho de humor. Dirigida pelo cartoonista António (Antunes), realiza-se pela segunda vez nas Caldas da Rainha, terra natal do caricaturista Rafael Bordalo Pinheiro. Uma volta ao mundo em 281 desenhos marcada pelos traços comuns de Donald Trump, das fake news e da liberdade de expressão, e pelos trabalhos vencedores de Cau Gomez e Silvano Mello (Brasil), Fadi Abou Hassan (Noruega), Hicabi Demirci (Turquia), Luc Descheemaeker (Bélgica), Marilena Nardi (Itália), Nedeljko Ubovic (Sérvia), Peter Nieuwendijk (Holanda) e Thomas Antony (Índia).
Horário: segunda e terça, das 10h às 13h e das 14h às 19h; quarta a sexta, das 10h às 13h e das 14h às 21h; sábado e domingo, das 11h às 13h e das 14h às 18h.
Grátis

PÚBLICO -
Foto
DR

Tempos medievais

Guimarães, Centro histórico
De 21 a 24 de Junho

Outubro de 1143. D. Afonso Henriques e o seu primo Afonso VII, rei de Leão e Castela, assinam o Tratado de Zamora, que reconhece a independência e soberania portuguesa. O episódio serve de cenário à oitava edição da Feira Afonsina que, durante quatro dias, se instala no centro histórico de Guimarães e propõe uma viagem à época medieval, contada com a sabedoria de quem tem nos genes a identidade histórica nacional. Ao burgo chegam mercadores, artesanato, iguarias, torneios, arqueiros, guerreiros e animação de rua, para dar cheiro e cor às memórias de outros tempos.
Horário: q
uinta, das 18h à 1h; sexta e sábado, das 11h à 1h; domingo, das 11h às 22h.
Grátis

PÚBLICO -
Foto
Adriana Calcanhotto DR

Sons da Cidade

Coimbra
De 22 a 24 de Junho

Por estes dias, Coimbra tem mais encanto. A cortesia vem do Sons da Cidade, a iniciativa que celebra o quinto aniversário da classificação da universidade como Património Mundial pela UNESCO. O programa é extenso e convida à deambulação e descoberta de espaços e património, cruzando as artes e trazendo novas leituras da cidade. Há música, cinema, performances, visitas guiadas, uma festa Joanina, uma caminhada inclusiva e até um roteiro gastronómico. Ficam alguns dos momentos a não perder: Jungle Red de Carlota Lagido no Jardim Botânico (dia 22, às 18h30); o filme Universidade de Coimbra, Alta e Sofia: Vamos Descobrir? no Teatro Académico Gil Vicente (dia 22, às 21h30); Alta(s) Histórias Soltas no Largo S. Salvador (dias 23 e 24, às 16h30); Já Só o Vento Canta de Américo Rodrigues junto ao Colégio de S. Bento (dias 23 e 24, às 18h30); o Jantar Joanino no Largo do Poço (dia 23, às 20h) e o concerto de Adriana Calcanhotto no Teatro Académico Gil Vicente (dia 24, às 21h30).
Grátis (excepto concerto de Adriana Calcanhotto, 10€, e Jantar Joanino)