Depois das acusações de assédio, presidente executivo da Guess demite-se

No seguimento das acusações de assédio sexual, o criador Paul Marciano vai abandonar a marca que ajudou a fundar.

Paul Marciano, Guess
Foto
Getty Images

Paul Marciano vai abandonar a sua posição de presidente executivo da Guess, anunciou a marca esta terça-feira. O afastamento do co-fundador acontece no seguimento da investigação interna acerca de várias alegações de assédio sexual feitas contra o criador.

De acordo com um relatório da investigação, as alegações incluíam "mensagens e comentários inapropriados, avanços indesejados, incluindo beijos e apalpões". Entre as cerca de 40 pessoas entrevistadas e aproximadamente 1,5 milhões de páginas de documentos, a investigação concluiu que "em certas ocasiões o senhor Marciano exercitou mau julgamento nas suas comunicações com modelos e fotógrafos e em colocar-se em situações em que acusações plausíveis de conduta imprópria poderiam surgir e surgiram".

Em Janeiro, a supermodelo Kate Upton veio pronunciar-se contra o co-fundador da marca, denunciando o poder que este tinha na indústria da moda para "assediar sexual e emocionalmente as mulheres". "É decepcionante que uma marca para mulher tão icónica como a Guess ainda tenha Paul Marciano como seu director criativo #metoo", partilhou então no Twitter.

Paul Marciano será agora substituído pelo irmão, Maurice. Continuará no conselho de administração até ao final do contrato, que termina a 30 de Janeiro do próximo ano, sendo que continuará a ganhar um salário até essa data.