Com a Barbie ao pescoço, no braço ou nas orelhas

A joalheira Margaux Lange perpetua o seu amor à boneca da Mattel transformando-a em jóias.

Barbie
Fotogaleria
Reuters/ROSELLE CHEN
Baliza
Fotogaleria
Reuters/ROSELLE CHEN
Farol, Barbie
Fotogaleria
Reuters/ROSELLE CHEN

Sempre gostou da boneca da Mattel. Margaux Lange, 39 anos, declara o seu amor de longa data pela Barbie ao arrancar-lhe a conhecida cabeça loura, ao cortar-lhe os olhos com um bisturi e transformar tudo em jóias. As peças da norte-americana com oficina em Beacon, Nova Iorque, podem custar perto de três mil euros. 

"Poucas pessoas se sentem indiferentes à Barbie", reconhece Lange, acrescentando que muitas "adoram poder usar um pedaço de sua infância"; enquanto outras pessoas olham para a boneca com um tom crítico e, por isso, “gostam de vê-la reimaginada desta forma”, ou seja, toda cortada.

Por exemplo, uma das criações de Lange é um colar de 220 dólares (168 euros) com um braço da Barbie com gotículas de sangue de coral vermelho presas por correntes de prata. Outra é uma pulseira feita só com braços da famosa boneca criada por Ruth Handler em 1959.

Mas a Barbie não é a única a ser mutilada para dar origem a peças de joalharia, também o seu namorado de sempre, Ken, mais concretamente o seu rosto ou o seu peito desenhado podem dar orifem a anéis, pregadeiras e colares. 

Na sua oficina, a joalheira tem caixas cheias de bonecas. Lange passa muito do seu tempo em vendas de garagem à procura das Barbie mais clássicas, com lábios vermelhos.

O seu trabalho não é indiferente à empresa que produz as bonecas. A Mattel já convidou Lange para produzir uma colecção de jóias  om anéis de onde sobressaem os sapatos de salto da Barbie.

Sugerir correcção