Ex-secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, constituído arguido em inquérito a fraude

Segundo a Sábado, o ex-secretário de Estado foi constituído arguido pelo Ministério Público num inquérito que envolve uma empresa da qual foi sócio, a Go Big or Go Home, que em 2010 terá investido verbas comunitárias numa empresa detida pela mulher de João Vasconcelos, também arguida no caso.

O antigo secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos
Foto
O antigo secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos Daniel Rocha/ARQUIVO

O Ministério Público confirmou esta quarta-feira a constituição de arguidos num inquérito a decorrer "relacionado com fraude na obtenção de subsídio", que, segundo noticiou esta quarta-feira a revista Sábado, envolve o antigo secretário de Estado da Indústria João Vasconcelos.

"Ao abrigo do disposto no art.º 86.º, n.º 13, al. b) do Código de Processo Penal, confirma-se a existência de inquérito, a correr termos no DCIAP [Departamento Central de Investigação e Acção Penal], relacionado com fraude na obtenção de subsídio. Tem arguidos constituídos. O inquérito encontra-se em investigação e está em segredo de justiça", adiantou à Lusa o gabinete de imprensa da Procuradoria-Geral da República. Na sua página na Internet, a revista Sábado noticiou nesta quarta-feira que no âmbito deste processo o ex-secretário de Estado do Governo de António Costa é um dos arguidos, algo confirmado pelo ex-governante à revista.

A Lusa tentou contactar João Vasconcelos, mas tal não foi possível.

Segundo a revista semanal o ex-secretário de Estado, que até há duas semanas era presidente da Comissão de Organização do Congresso do PS — cargo do qual se demitiu por razões pessoais — foi constituído arguido pelo Ministério Público num inquérito que envolve uma empresa da qual foi sócio, a Go Big or Go Home, e que, de acordo com a Sábado, em 2010 terá investido verbas comunitárias numa empresa detida pela mulher de João Vasconcelos.

A Sábado adianta ainda que o DCIAP realizou buscas à casa de João Vasconcelos em Cascais, no mês passado, aos escritórios da empresa Eco Choice, e à casa no Estoril de Francisco Maria Pinto Balsemão, filho de Francisco Pinto Balsemão e sócio de Vasconcelos. Francisco Maria Balsemão e Isabel Domingues Santos, mulher de João Vasconcelos, foram também constituídos arguidos, adiantou a revista.

João Vasconcelos saiu do Governo em Julho de 2017, depois de ser constituído arguido pelo Ministério Público no processo que investiga "o pagamento pela Galp Energia S.A. de viagens, refeições e bilhetes para diversos jogos da seleção nacional no Campeonato Europeu de Futebol de 2016".

O ex-secretário de Estado da Indústria esteve à frente da vinda para Portugal do evento Web Summit, um encontro mundial dedicado às novas tecnologias usado como uma montra para muitas startup, pequenas empresas em início de actividade com grande potencial de crescimento.