Sete ideias para sair esta semana

As muitas formas de ilustrar histórias, com canções pelo caminho e caramelos no horizonte.

Foto
Big Dancers, performance de rua da companhia El Carromato DR

Ó Ílhavo, Ilustração à Vista

Ílhavo, vários locais
Até 6 de Maio

Na rua, na música e no teatro. Em papéis, porcelanas ou conversas. A arte de ilustrar anda por todo o lado e à vista de todos. Objectivo: Desenhar Um Território, como manda o tema, ou pensar "o desenho como instrumento de retrato e reflexão da cidade". O festival Ilustração à Vista, que começou a esboçar-se em Ílhavo no ano passado, regressa com um programa aumentado e internacionalizado. Neste sábado, dia 5, na Casa da Cultura, o brasileiro Gustavo Ciríaco pensa o espaço cénico como algo Cortado por Todos os Lados, Aberto por Todos os Cantos (às 20h), enquanto o projecto Mira Mar harmoniza as guitarras de Peixe e Frankie Chavez com as imagens manipuladas por André Tentúgal (21h30). Fica assim aberto o caminho à passagem dos coloridos Big Dancers, dos espanhóis El Carromato, pelo Jardim Henriqueta Maia (23h). Além dos espectáculos – em que se destaca ainda Entremundos, da Companhia Pia, no encerramento (dia 6, 18h, Gafanha da Nazaré) –, o festival inclui propostas teatrais específicas para crianças, quatro exposições e uma série de oficinas.
Programa completo aqui.
Grátis (excepto algumas oficinas)

PÚBLICO -
Foto
Paião DR

Uma vila de canções

Lisboa, Praça do Comércio
Até 12 de Maio

Enquanto a Altice Arena escuta os concorrentes do festival Eurovisão da Canção – incluindo O jardim de Isaura cantado por Cláudia Pascoal –, noutra parte da cidade está montada toda uma estrutura para seguir a primeira realização portuguesa do concurso. Na Praça do Comércio, a Eurovision Village está de portas abertas desde 4 de Maio para mostrar em directo o que se vai passando no palco principal. E para oferecer uma série de concertos, alguns inéditos. É o caso de Paião, projecto que junta João Pedro Coimbra, Nuno Figueiredo, Jorge Benvinda, Marlon e Via numa homenagem a Carlos Paião. Estreia-se ao vivo no domingo, 6 de Maio, às 16h, dia que recebe outros tributos a personalidades ligadas ao festival: as Doce por Moullinex (20h) e Simone de Oliveira por Nuno Feist (21h30). Nos dias seguintes, Banda do Mar e Waldemar Bastos (dia 7), Orquestra Metropolitana e Coro Voces Caelestes (9), Orelha Negra e a Guerrilha Cor-de-Rosa de Capicua (11) tratam de intercalar a música ao vivo com as transmissões das semifinais (8 e 10) e da grande final (12). Tudo acompanhado por street food, uma área lounge e uma exposição sobre o festival.
Grátis

PÚBLICO -
Foto
Padre Vítor Melícias Miguel Manso

Imagine-se uma conversa…

Lisboa, A Barraca
Dia 7 de Maio

…entre o padre Vítor Melícias, o escritor Fernando Dacosta e a jornalista Edite Esteves. Imagine-se agora que eles vestiam a pele de três vultos dos séculos XV e XVI: o dramaturgo português Gil Vicente, o inquisidor espanhol Tomás de Torquemada e a heroína francesa Joana d'Arc, respectivamente. É o que acontece nesta segunda-feira n'A Barraca, teatro lisboeta que há muito se especializou em congeminar e simular conversas entre personalidades históricas, dos mais diversos campos e origens, representadas por personalidades de agora, com os seus Encontros Imaginários. Esta é já 160.ª sessão, novamente escrita e moderada por Hélder Costa.
Horário: às 21h30.
Bilhetes a 10€ (informações e reservas: [email protected], [email protected], 213965360, 213965275, 913341683 e 968792495)

PÚBLICO -
Foto
Bufo-real João Simões

Animais ilustres

Montemor-o-Novo, Monte Selvagem
Até 30 de Junho

O Monte Selvagem tem novos habitantes. São 19, estão ao ar livre e nasceram em... scratchboard. Falamos dos animais retratados na exposição Portugal Selvagem, um conjunto de réplicas de ilustrações científicas da autoria de João Simões. O mundo animal sempre fascinou o designer e ilustrador. Rapidamente se tornou objecto recorrente do seu trabalho. A páginas tantas, promoveu os animais do território nacional a tema central, por perceber algum desconhecimento sobre eles. Foi agora convidado a exibir os seus desenhos, rigorosos e detalhados, pelo parque alentejano. Em "harmonia com a natureza", como é apanágio da reserva animal, se chama assim a atenção "para a riqueza da fauna autóctone portuguesa e para a grande necessidade da sua conservação".
Horário: terça a domingo, das 10h às 19h.
Entrada para a exposição incluída no bilhete para o parque: 13,50€ (adulto), 12€ (sénior) e 11,50€ (crianças dos três aos 12 anos); Grátis para crianças até dois anos; descontos para grupos escolares e famílias.

PÚBLICO -
Foto
A Ilha de Plástico, da Animateatro Patrícia Ricardo

A bambalear por aí

Setúbal, vários locais
De 5 a 13 de Maio

Peças, oficinas e tertúlias. Para bebés, adolescentes e pais. A gingar por vários estilos. Numa palavra, Bambolinices. É este o nome do festival que nasce em Setúbal, por acção do GATEM - Grupo de Animação e Teatro Espelho Mágico, para dar palco ao teatro e às artes performativas. Na quarta-feira, 9 de Maio, no Fórum Municipal Luísa Todi, Há Festa na Floresta com a companhia anfitriã (às 11h), seguida de uma viagem para A Ilha de Plástico da Animateatro (às 14h30). Teatro Infantil de Lisboa, Capoeira - Companhia de Teatro de Barcelos, ATA - Acção Teatral Artimanha, A Monda Teatro-Música, ProtagonizaMagia, TAS - Teatro Animação de Setúbal, Cativar, Teatro Independente de Loures e Tin.Bra são os outros grupos participantes. Ao longo do Bambolinices, também é possível aprender a fazer pinturas faciais, desenvolver o talento para a representação e entrar em debates.
Bilhetes de 5€ a 25€ (excepto espectáculos de rua, grátis)

PÚBLICO -
Foto
OCubo

Estrelas ao cubo

Lisboa, Ruínas do Convento do Carmo
De 3 de Maio a 30 de Junho (excepto 22 Maio)

O sismo que transformou o Convento do Carmo em ruínas, em 1755, é um dos episódios projectados nas suas paredes nos próximos dois meses. A Batalha de Aljubarrota, a Expansão Portuguesa e a Revolução dos Cravos também passam por Lisbon Under Stars, um espectáculo de video mapping do ateliê O Cubo que conta com mais do que imagens para contar a(s) história(s). Catarina Furtado narra. Mariza, Rão Kyao, Teresa Salgueiro, Coro de Câmara Lisboa Cantat, Orquestra de Câmara da GNR e Tocá Rufar fazem participações especiais. Lopes Graça, Freitas Branco, Amália, Madredeus, Salvador Sobral e Zeca Afonso compõem a banda sonora. Clara Andermatt coreografa o bailado virtual. Em interacção com a arquitectura do local está também a arte urbana de Fuel, Daniel Eime, The Super Van e Vhils. Mais do que ver estrelas estaticamente, o público é convidado a deambular pelo espaço e a deixar-se imergir na experiência.
Horário: segunda a sábado, às 21h30 e 22h45.
Bilhetes a 15€; grátis para crianças até cinco anos

 

PÚBLICO -
Foto
DR

Caramelos ao Pinhal Novo

Pinhal Novo, Largo José Maria dos Santos e Praça da Independência
De 11 a 13 de Maio

A cultura caramela torna a ter lugar de destaque em Pinhal Novo. Não falamos de doces, mas da herança cultural e gastronómica dos caramelos, designação por que ficaram conhecidos os trabalhadores rurais que migraram das beiras para esta região. Durante três dias, tradições e costumes são reavivados no Mercado Caramelo, uma recriação histórica das antigas feiras, com figurantes trajados a rigor e a sopa caramela como estrela da ementa. Esta terceira edição acontece, aliás, no ano em que a iguaria integra a candidatura de Palmela a uma das Sete Maravilhas à Mesa. O programa da festa fica completo com produtos locais, animação de rua, demonstrações de ofícios de outros tempos, danças, contos, conversas, música e (novidade do ano) o projecto de som de rua Telefonia Caramela. As crianças não ficam à porta: para elas, está montado um Mercadito Caramelo recheado de workshops, fantoches, jogos tradicionais e outras actividades.
Horário: sexta, das 18h às 2h; sábado, das 10h às 2h; domingo, das 10h às 24h.
Entrada livre