Trabalhadores não docentes da UGT em greve a 4 de Maio

Sindicatos da CGTP também fazem greve no mesmo dia. Todos contestam precariedade e falta de pessoal.

Foto
Auxiliares e administrativos das escolas em greve a 4 de Maio Nelson Garrido

Depois de a CGTP ter marcado uma greve dos trabalhadores não docentes para dia 4 de Maio, a Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap) e a Federação Nacional de Educação (FNE), da UGT, entregaram também nesta quinta-feira um pré-aviso de greve para o mesmo dia.

Os trabalhadores não docentes das escolas públicas sindicalizados na UGT exigem o restabelecimento da carreira e a vinculação aos quadros dos trabalhadores precários e contestam a falta de pessoas.

A Fesap e a FNE alertam que “não se tem verificado da parte do Ministério da Educação a assunção clara das suas responsabilidades em relação a estes trabalhadores”.

“E mesmo a forma como [o Ministério] tem assegurado a contratação a título precário de trabalhadores não docentes, continua a traduzir-se numa insuficiência destes trabalhadores que marca negativamente a generalidade das escolas portuguesas”, acrescentam as duas estruturas.

O fim da precariedade e integração de todos os trabalhadores precários, a alteração da portaria de rácios, a criação da carreira especial e o fim da municipalização são alguma das reivindicações da CGTP que já tinha anunciado uma greve para o mesmo dia.