MP acusa cinco funcionários da Casa dos Rapazes de maus tratos

Directora técnica terá distribuído impropérios, “bofetadas e cachaços” aos jovens e incitado funcionários “a adoptar o mesmo 'modelo de educação'”.

O Ministério Público de Viana do Castelo acusou de maus tratos a directora técnica e quatro educadores da Casa dos Rapazes, uma estrutura destinada a acolher crianças e jovens em situação de perigo.

Há um ano, propagou-se um zunzum pela cidade. Cartas anónimas chegaram às mãos de diversas entidades e chegaram ao Ministério Público e ao centro distrital da Segurança Social. Já em Junho, duas educadoras apresentaram uma denúncia.

No despacho da acusação, a que o PÚBLICO teve acesso, lê-se que a directora técnica terá distribuído impropérios, bofetadas e cachaços aos jovens. E que incitava os funcionários a adoptar o mesmo "modelo de educação”. Ela e quatro educadores são acusados de “agressões físicas, insultos e humilhações”.

Ao todo, os cinco funcionários são acusados de 35 crimes de maus tratos. Os rapazes são considerados pessoas especialmente vulneráveis por serem menores e por estarem acolhidos numa instituição que tinha por missão protegê-los de todos os males.

Recorde-se que a direcção da Casa dos Rapazes decidiu suspender as duas funcionárias que denunciaram maus tratos e manter ao serviço os arguidos. Só em Novembro os educadores suspeitos pediram para serem afastados e foram, mantendo-se a directora. Foi destituída há semanas, por pressão da Segurança Social.