Um clube de praia para quem procura serenidade no Algarve

O Tivoli Marina Vilamoura inaugurou os quartos Purobeach para dar as boas-vindas ao Verão. Um reduto de tranquilidade no clube de praia que o grupo trouxe para o Algarve no ano passado.

Foto
Miguel Manso

Há quem prefira passar as férias a calcorrear uma cidade nova de lés-a-lés. Há quem prefira dedicar uns dias (ou semanas) cultivar a arte do dolce far niente. Aqui, os resorts podem aparecer à cabeça de quem opta pelo descanso, ainda que nem sempre seja fácil encontrá-lo por essas bandas. O Tivoli Marina Vilamoura quis pôr os hóspedes com os pés na água, seja da piscina ou do oceano, e na areia, fora da agitação e correria (e alguma gritaria) à qual, já se sabe, não escapamos nas grandes estâncias turísticas.

A marca Purobeach volta ao Verão algarvio, mas, este ano, com novidades. Além da piscina e do restaurante de praia, há 43 quartos (41 duplos e duas suítes) que ocupam o sétimo piso do hotel, cheios de luz e vista, quer para a praia, quer para a marina. E onde as palavras de ordem são sossego, descanso, descontracção, tranquilidade. Sem perder a personalidade.

Para isso, a decoração em tons de branco, a contrastar com a madeira escura da mobília, transforma o espaço num ambiente luminoso, tranquilo e jovem. A grande mandala, círculo mágico símbolo da integração e da harmonia, à cabeceira da cama combina com a que adorna o fundo da piscina exterior à qual os hóspedes que optarem pelos quartos com a chancela Purobeach terão acesso, mas que pode também ser frequentada por quem não está alojado no hotel.

Há mais mares

É um reduto, fora da confusão de um resort, (aqui menores não entram), onde se pode tratar do corpo e da mente com vista para um jardim que isola aquela área. Há um bar onde se pode pedir cocktails (com e sem álcool) e ouvir música que é a mesma que passa em todos os clubes Purobeach espalhados pelo mundo.

A dois passos o spa. Um espaço com 2400 metros quadrados que é inspirado em elementos da natureza. O Tivoli Spa é uma marca recente, do início de 2017, já depois de a gigante hoteleira Minor Hotels ter adquirido o grupo português Tivoli Hotels & Resorts. Vai buscar aos produtos típicos da terra, como o figo e a amêndoa, o segredo para os tratamentos. No ritual de boas-vindas, por exemplo, há uma esfoliação de pés com laranja do Algarve. A cortiça está na decoração.

Em reformulação está o ginásio, para passar a ser um espaço quatro vezes maior. Outra das novidades é um programa de aulas semanais — do ioga ao Fitness on Water. É isso mesmo, uma aula de fitness, de alta intensidade, com pranchas, agachamentos, flexões. Tudo isto em cima de uma prancha, na água, ligada à dos outros praticantes, o que provoca mais desequilíbrio, e activa mais músculos do corpo. O desafio? Não cair à água. As aulas estarão agora disponíveis duas a três vezes por semana durante o ano inteiro. Quem as quiser fazer terá de reservar e estarão disponíveis não só para hóspedes, como também para membros do Tivoli Spa.

Sabores de todo o mundo

A casa mãe do Purobeach abriu em Junho de 2005, em Maiorca. Depois disso, Barcelona, Marbella e, no final do ano passado, chegou a Playa del Carmen, no México. A Portugal, chegou em Junho do ano passado. Ainda sem quartos Purobeach, mas com a piscina e o Purobeach Beachfront, um restaurante todo envidraçado que parece deixar entrar o mar e a areia dentro, para quem quer ter os pés na praia, ao mesmo tempo que saboreia o marisco ou o peixe da costa algarvia ou algum sabor do mundo.

É André Basto o chef, que já calcorreou o país de Norte a Sul, e além-fronteiras, por Paris e Estocolmo, que comanda a cozinha do restaurante que vai buscar sabores à Ásia, ao Mediterrâneo, mas dá espaço aos local flavours, que é como quem diz, à cozinha regional.

PÚBLICO -
Miguel Manso

Grande parte da carta de comidas e bebidas do Purobeach é comum a todos os clubes de praia. Os chefs executivos de cada um reúnem-se várias vezes no ano para “afinar sabores”, explica Rui Lopes, director de Alimentação e Bebidas do Tivoli Marina Vilamoura.

É com um sabor do Algarve que começa a noite, com um Moura, um cocktail de medronho, licor de alfarroba e licor de amêndoa, sumo de limão e de laranja e mel. Seguem-se as entradas, do mundo, com muita cor e muito sabor. O conceito aqui é a partilha, diz o chef. “A grande parte dos pratos tem doses generosas com o intuito de serem partilhados.” Como as quesadillas, “um sucesso em todos os Puro”, diz André Basto. Um “snack ligeiro, mas guloso”, com queijo, frango. Mas há também nachos para partilhar, com muito queijo e guacamole, ideais para petiscar com um copo de vinho.

Há ainda lulas empanadas em grão-de-bico, com presunto, praliné de avelã, “um prato sui generis, mas muito fresco”, classifica André Basto. Para terminar as entradas, um prato que “está afinado ao gosto internacional”: camarões com piripíri. “Eles compram cá o piripíri para levar para Palma e Marbella”, partilha o chef.

Depois dos sabores do mundo, o prato principal ficou reservado a um sabor local. O protagonista é o tamboril, num arroz mais escuro, só colorido pelo peixe. “É o mais simples, vive da frescura do peixe.” André Basto explica que o peixe que é servido no restaurante é capturado “pelo método tradicional” durante a madrugada. “Os nossos preços e a nossa oferta são variáveis ao dia e perante as condições climatéricas”, nota. É servido num tacho de ferro onde é feito e que é proporcional à quantidade de comensais.

A parte mais doce da noite fica reservada à sobremesa de assinatura do Purobeach. Sweet for four, que é como quem diz, doces para quatro. O intuito aqui também é partilhar uma tábua que fundiu quatro best-sellers do Puro: a sobremesa mais antiga, o Gino, que nada mais é do que fruta fresca acabada de cortar com chocolate branco gratinado e uma bola de baunilha. Depois, há sorbet de framboesa, cheesecake e brownie (sem glúten) para encerrar a noite.

Depois, é seguir para uma volta na marina ou aproveitar a vista dos quartos e o luar reflectido nas águas do Atlântico.

Uma espécie de mordomo

No pacote dos quartos Purobeach estão também incluídas espreguiçadeiras na piscina e na praia. No quarto, o minibar fica por conta dos clientes, que poderão pôr a mão na fruta, seguindo as receitas que o “mestre” dos cocktails do hotel deixará nos quartos. Há champanhe, uma cortesia de boas-vindas, e os responsáveis garantem que existirá um “serviço mais próximo com o cliente”, como um mordomo, que acompanhará de perto os hóspedes. Além disso, têm acesso aos mesmos serviços que os restantes hóspedes (piscina interior, jacuzzi, sauna, banho turco). Os preços são dinâmicos, dependendo da procura. Começam por volta dos 250 euros, por dia, por quarto duplo, com pequeno-almoço, e podem passar os 400 em época alta.

Ao domingo é servido o brunch, das 12h às 15h, no restaurante da praia. Por 30 euros, é possível experimentar alguns pratos da carta, das entradas às sobremesas. Os quartos já podem ser reservados e estarão disponíveis até quando o bom tempo deixar.

A Fugas esteve alojada a convite do Tivoli Marina Vilamoura