Embaixador de Portugal em Moscovo chamado a Lisboa

Augusto Santos Silva nega desacerto com os aliados em relação à resposta do Ocidente ao ataque químico no Reino Unido atribuído à Rússia.

Foto
Miguel Manso

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, disse esta terça-feira em entrevista à RTP que o embaixador português em Moscovo foi chamado a Lisboa para consultas na sequência da crise diplomática entre o Reino Unido – e os seus aliados – e a Rússia.

"Tomámos boa nota e em consideração decisões que os países mais próximos, amigos e aliados, foram tomando e decidimos hoje chamar o embaixador português em Moscovo para consultas", disse à RTP, negando que Portugal se tenha excluído da iniciativa de mais de uma dezena de nações ocidentais de expulsar diplomatas russos em represália pela suspeita do envolvimento russo no envenenamento de um antigo agente duplo em Salisbury, no Reino Unido.

Dizendo que Lisboa alinha a sua "posição bilateral com a própria posição da União Europeia", Santos Silva adverte que "este é um processo que ainda está provavelmente no seu início" e que "é preciso evitar qualquer lógica de escalada".

"Como o secretário-geral da NATO hoje disse, é preciso mostrar firmeza perante a Rússia, mas ao mesmo tempo manter diálogo político com a Rússia. Essa é orientação de Portugal", acrescentou.

Esta terça-feira, e em declarações à Lusa, Santos Silva tinha afirmado que Portugal “usa da prudência” para “defender os interesses nacionais”, sublinhando a “lógica de não-confrontação” da política externa lusa.