Deutsche Bank vendeu parte do negócio em Portugal a grupo espanhol

Banco alemão manterá sucursal em território nacional, continuando com o negócio de empresas e de investimento.

Deutsche Bank reduz substanciamente a actividade em Portugal.
Foto
Deutsche Bank reduz substanciamente a actividade em Portugal. Reuters/Kai Pfaffenbach

O Deutsche Bank anunciou nesta terça-feira a venda do negócio comercial de particulares (balcões) em Portugal ao espanhol Abanca Corporación Bancaria. O banco alemão continuará no país, mas apenas com o segmento de empresas e de investimento.

O Deutsche Bank, que tem apresentado elevados prejuízos ao grupo, enquadra a venda “na estratégia de se concentrar nas áreas de actividade mais relevantes e reduzir a complexidade da operação”.

A conclusão da transacção da alienação está condicionada às aprovações regulatórias exigidas, entre outras condições operacionais.

O comunicado do banco refere que ambas as partes estão empenhadas na conclusão da transacção no primeiro semestre de 2019.

O Abanca é uma instituição financeira espanhola, com 640 balcões e mais de 4600 colaboradores, que em Portugal tem apenas quatro balcões, desenvolvendo um modelo de negócio focado nas pequenas e médias empresas.

“Esta transacção faz parte do plano estratégico do Abanca no sentido de reforçar a presença em Portugal e, complementarmente, crescer nos segmentos estratégicos de particulares e de private banking”, refere ainda a nota.

O Deutsche Bank adianta que vai manter uma presença em Portugal, através da sucursal Deutsche Bank Portugal, que desenvolverá actividade ao nível da banca corporativa e de investimento, incluindo Global Transaction Banking, prestando serviços bancários às empresas nacionais e estrangeiras, instituições financeiras, ao Estado e demais entidades públicas.

Os clientes particulares não sofrerão, numa primeira fase, qualquer mudança ao nível dos depósitos, que se manterão garantidos pelo Fundo de Garantia dos Depósitos, ou ao nível dos empréstimos, nomeadamente à habitação (onde as condições contratadas não podem ser alteradas). No futuro, podem existir alterações ao nível das taxas de juro dos novos depósitos, ou das comissões. Mas essa alteração até pode ser para melhor, dadas as elevadas comissões praticadas actualmente pela instituição.

Uma notícia recente dava conta que o banco alemão tem em curso um corte entre 250 e 500 postos de trabalho em todo o mundo nas áreas de negócios de banca corporativa e banca de investimento.

Em 2017, o grupo Deutsche Bank registou prejuízos de 497 milhões de euros, ainda assim melhores do que os resultados de 2016.

Sugerir correcção