Deutsche Bank corta até 500 postos de trabalho

O grupo vai no terceiro ano com prejuízos. Em 2017, foram de 497 milhões de euros, ainda assim melhor do que em 2016.

O grupo tem vindo a levar a cabo um processo de reestruturação com cortes de custos
Foto
O grupo tem vindo a levar a cabo um processo de reestruturação com cortes de custos Reuters/RALPH ORLOWSKI

O banco alemão Deutsche Bank está a cortar entre 250 e 500 postos de trabalho em todo o mundo nas áreas de negócios de banca corporativa e banca de investimento, segundo a agência de informação financeira Bloomberg. Entre as pessoas dispensadas estão quadros intermédios e altos de Nova Iorque e Londres, segundo fontes que pediram anonimato. Já o Deutsche Bank recusou comentar estas informações.

O grupo alemão tem levado a cabo um processo de reestruturação com cortes de custos, em que se inclui a redução de pessoal. O banco já cortou milhares de postos de trabalho desde 2015.

Em 2017, o grupo Deutsche Bank registou prejuízos de 497 milhões de euros, ainda assim melhores do que os resultados de 2016.

Na apresentação das contas, no início de Fevereiro, o presidente do banco, John Cryan, disse que a instituição financeira conseguiu os primeiros lucros antes de impostos dos últimos três anos, e que "os números vermelhos" se registaram por causa da reforma fiscal nos Estados Unidos da América.

O primeiro banco da Alemanha sofreu, assim, perdas pelo terceiro ano consecutivo, depois das perdas de 1350 milhões de euros em 2016 e de quase 6800 milhões de euros em 2015.

O Deutsche Bank tem uma sucursal em Portugal que, em 2017, registou resultados antes de impostos de 7,3 milhões de euros em 2017, o que compara com 33,5 milhões de euros registados no período homólogo de 2016. O resultado líquido não é conhecido.