Torne-se perito

Vamos reencontrar o Sung Tongs dos Animal Collective no Capitólio

A banda de Panda Bear e Avey Tare interpretará na íntegra o álbum histórico de 2004. Concerto marcado para dia 21 de Junho, no recuperado Cine-Teatro no Parque Mayer, em Lisboa.

Panda Bear e Avey Tare criaram há 14 anos o álbum que foi para muitos porta de entrada no universo da banda de <i>Feels</i>
Foto
Panda Bear e Avey Tare criaram há 14 anos o álbum que foi para muitos porta de entrada no universo da banda de Feels DR

Em Dezembro do ano passado, o influente site Pitchfork organizou um concerto de celebração do seu 21.º aniversário. Houve concertos de Alex G e de Moses Sumney, por exemplo, e houve um momento histórico: aquele em que Panda Bear e Avey Tare se reuniram para interpretar na íntegra Sung  Tongs, o álbum dos Animal Collective, editado em 2004, que foi para muitos a porta de entrada no universo de uma banda que marcou decisivamente o início do século XXI. Confirma-se agora que também Portugal terá o privilégio de ouvir Sung Tongs em palco: acontecerá dia 21 de Junho, às 22h, no Capitólio, em Lisboa, num concerto promovido pela Galeria Zé dos Bois – bilhetes à venda esta sexta-feira (25€).

Na recuperada sala lisboeta no Parque Mayer, ouviremos música que já tem lugar reservado na história. Naquele que foi o quinto álbum da banda, os Animal Collective orquestraram uma reconfiguração pop sob espírito animista: como se os Beach Boys chocassem de frente com o tropicalismo, como se a electrónica, marca do presente, fosse manifestação de cânticos e ritmos perdidos na origem dos tempos, como se a folk e a pop tacteassem o mundo em volta em busca de novas paisagens, outras maravilhas.

Gravado unicamente por Panda Bear e Avey Tare, mas creditado aos Animal Collective, Sung Tongs abriu caminho para a afirmação definitiva da banda como uma das grandes forças criativas (e populares) do nosso tempo – Feels e Strawberry Jam chegariam em 2005 e 2007, respectivamente.

O ano passado Avey Tare editou Eucalyptus, álbum a solo germinado enquanto o músico se embrenhava na paisagem natural que o rodeia nos arredores de Los Angeles, a cidade que habita neste momento. É um álbum que, de certa forma, canaliza novamente a energia e a sensação de deslumbramento de Sung Tongs. Em Novembro de 2017, na Igreja de St. George, ouvimos Eucalyptus e sentimos próximo o universo mágico do álbum de 2004. Em Junho, não o sentiremos próximo. Estaremos lá novamente. Em Sung Tongs.

Sugerir correcção