Opinião

O seu creme tem ácido hialurónico, o que é?

Este biopolímero encontra-se em todos os tecidos do corpo humano, mas vai diminuindo com a idade.

Fotogaleria
Getty
Fotogaleria
Avéne, PhysioLift Serum (37,90 euros) DR
Fotogaleria
Creme Hidronutritivo Protector da Babe (24,50 euros) DR
Fotogaleria
Comodynes, Antiaging Mask (9,59 euros) DR
Fotogaleria
Dvine, Gold Harvest, creme de dia (89,50 euros) DR
Fotogaleria
Frezyderm, Botulin Effect Cream (46,48 euros) DR
Fotogaleria
Galénic, Beaute de Nuit (59,99 euros) DR
Fotogaleria
Givenchy, L'Intemporel_Kit Multi-Masking (98 euros) DR
Fotogaleria
Linha da Institut Esthederm: creme (55,80 euros), máscara (36,90 euros), sérum (55,80 euros) DR
Fotogaleria
Kiehl's, Super Multi Corrective Cream (64 euros) DR
Fotogaleria
Lancôme, creme Visionnaire (85,70 euros) DR
Fotogaleria
LÓréal, Revitalift Filler, cuidado de noite (29,99 euros) DR
Fotogaleria
MartiDerm, Black Diamond para contorno dos lábios (57,35euros) DR
Fotogaleria
Sensilis, Neverending Foundation (31,63 euros) DR

O ácido hialurónico (AH) é um biopolímero constituído por ácido glucurónico e N-acetilglucosamina que se encontra em todos os tecidos do corpo humano sendo que mais de 50% encontra-se na epiderme e na derme.

Os níveis de ácido hialurónico são constantes ao longo da vida mas a sua solubilidade diminui com a idade tornando-o menos disponível para exercer as suas funções anti-inflamatórias, angiogénicas (crescimento de novos vasos sanguíneos a partir dos já existentes), imuno estimuladoras, cicatrizantes, entre outras.

Todos esses benefícios justificam significativamente o uso de ácido hialurónico, hialuronato de sódio e de potássio em produtos cosméticos como um agente humectante, ou seja, com capacidade de reter água; antioxidante, evitando a formação de radicais livres de oxigénio, regenerador e anti-envelhecimento.

Para exercer a sua função no anti-envelhecimento cutâneo, o AH deve estar na sua forma livre para atrair água, resultando num aumento de volume da pele e diminuindo a aparência das rugas. A grande maioria dos cosméticos usa o AH e os seus sais em concentrações inferiores a 1-2%.

Apesar de todas estas vantagens, o AH não é facilmente absorvido por administração tópica ou oral devido ao seu alto peso molecular. Por estas razões e atendendo ao seu elevado custo, fragmentos e percursores do AH estão frequentemente presentes em produtos cosméticos (veja a fotogaleria em cima).

Professora associada da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa