Os destaques da semana da moda em Nova Iorque

Carolina Herrera assinou pela última vez uma colecção e Alexander Wang declarou o regresso dos ganchos de cabelo.

Foto
Carolina Herrera assinou, pela última vez, uma colecção sua. O jovem criador Wes Gordon passa a director criativo. Reuters/CAITLIN OCHS

A semana da moda de Nova Iorque marca o início do mês de apresentações dos grandes criadores de moda, seguida depois pelas semanas de Londres, Milão e Paris. Revemos alguns dos momentos altos.

A despedida de Carolina Herrera

Carolina Herrera assinou, pela última vez, uma colecção da sua marca epónima. A criadora venezuelana retirou-se para dar lugar ao jovem Wes Gordon – antes consultor criativo – que assume as funções de director criativo. Herrera continuará ligada à marca, mas como embaixadora global. O desfile de despedida, no Museum of Modern Art, esta segunda-feira, teve uma homenagem àquela que é a imagem de marca da criadora: uma camisa branca clássica com uma saia comprida colorida e um cinto largo. Foi assim que as modelos desfilaram no final. Por contraste, a própria designer apareceu de calças com riscas, ao lado da sua equipa criativa.

"Simplesmente não digam que me estou a reformar. Não me estou a reformar, estou a seguir em frente", atira a criadora de 79 anos, citada pelo New York Times. Na sua nova função vai fazer parte de eventos da marca por todo o mundo e utilizar o "status de lenda viva" a favor da marca. Vai passar mais tempo com os 12 netos e seis bisnetos, e menos a preocupar-se com as questões do dia-a-dia do design.

Acessórios de anos passados

Não é novidade que os anos 1990 estão de nova. Esta semana, Alexander Wang reapresentou ao público da moda um acessório de cabelo popular dessa altura: a mola de cabelo. E, como aponta a Harper's Bazaar, "nada é cool até a Rihanna ou o Alexander Wang dizerem que é".

No desfile, que decorreu na antiga sede da Condé Nast – onde Wang estagiou, na Vogue – várias modelos usavam clips gigantes no cabelo, com um acabamento prateado e o logótipo da marca. "Isto é a interpretação do Alex Wang da power woman (mulher com poder), mais ou menos inspirado pelos anos 1990, quando pela primeira vez vimos o poder feminino no escritório", comenta o hairstylist Guido Palau, citado pela Fashionista. Estes clips "na altura eram novidade e depois ganharam uma má conotação; estamos a vê-los com outros olhos", acrescenta.

Na segunda-feira, Prabal Gurung lembrou-nos de um outro acessório do passado, a bandolete elástica. Gigi Hadid e Ashley Graham foram duas das modelos que assim desfilaram. O criador conta à Elle que se inspirou nas raparigas que via todas as manhãs a caminho do yoga, com um nó no cabelo, em Londres.

Cardi B e Anna Wintour lado a lado

Na primeira fila do desfile de Alexander Wang estava um par improvável. A fotografia da rapper Cardi B sentada ao lado da directora da Vogue, Anna Wintour, correu a Internet. No Twitter, alguns utilizadores confessavam que dariam tudo o que tinham para ter ouvido a conversa entre as duas, enquanto outros começavam a campanha para Cardi B ser a capa de Setembro da Vogue. Outros ainda comentavam como a editora de moda – que nem sempre aparece sorridente em fotografias – parecia bem-disposta por estar ao lado da cantora. "Quem sentou Cardi B ao lado de Anna Wintour merece um aumento", escreveu um utilizador.

PÚBLICO -
Foto

Filho de Ben Harper não pôde desfilar 

Ellery Harper, o filho de 16 anos do cantor Ben Harper e da actriz Laura Dern, foi convidado pelo director criativo da Ralph Lauren, Raf Simons, para desfilar, mas o pai achou que era cedo demais. O jovem aspirante a modelo foi na mesma ao desfile, na companhia da mãe e sentou-se na primeira fila. "Na verdade estou presente por causa do meu filho, que tem muito carinho por Raf – eles têm uma ligação fantástica", conta a actriz de Big Little Lies, citada pela W Magazine. 

Marc Jacobs presta homenagem a YSL

Na sua mais recente colecção, Marc Jacobs prestou homenagem ao criador francês Yves Sait Laurent, com uma clara referência visual aos anos mais tardios da sua carreira – algo que não passou despercebido a vários meios da área, como a secção de estilo do New York Times. A mensagem estava implícita nas silhuetas largas, chapéus pretos com longas abas e cores vivas. No geral, era também visível, a inspiração nos anos 1980, com ombros exagerados, calças largas e grandes laços.