Produção polaca e filme de animação franco-turco vencem festival de Clermont-Ferrand

Festival tinham três curtas portuguesas a concurso.

<i>Coelho Mau</i>, de Carlos Conceição
Foto
Coelho Mau, de Carlos Conceição

Uma produção polaca e um filme de animação franco-turco são os vencedores dos principais prémios do Festival Internacional de Cinema de Clermont-Ferrand, dedicado à curta-metragem, que encerrou na noite de sábado, na cidade francesa. O Grande Prémio da competição internacional, de acordo com a lista de vencedores da 40.ª edição do festival, foi para o filme polaco Drzenia, de Dawid Bodzak, obra de suspense em torno de um grito numa floresta. O comportamento de uma família, numa festa, domina a produção sueca Skuggdjur, de Jerry Carlsson, e conquistou o Prémio do Júri.

Bonobo, produção suíça, dirigida por Zoel Aeschbacher, sobre a dinâmica de um grupo num abrigo social, conquistou o Prémio do Público, na competição internacional.

O Grande Prémio da competição nacional (francesa) foi para a coprodução franco-turca Kötü Kiz, uma curta de animação de Ayce Kartal, sobre uma miúda de imaginação viva, enquanto o Prémio do Júri foi atribuído a Vihta, coprodução franco-belga de François Bierry, que aborda relações de trabalho numa pequena empresa recém-adquirida por um grande grupo económico.

O Prémio do Público da competição nacional foi para Les Indes Galantes, produção francesa de Clément Cogitore, que acompanha a montagem da ópera-ballet do compositor barroco Jean-Philippe Rameau, na Ópera da Bastilha, numa abordagem actual, inspirada na dança Krump dos guetos de Los Angeles. O prémio de Melhor Curta de Animação foi para o musical Min börda, do sueco Lindroth von Bahr.

O festival de Clermont-Ferrand tinha selecionado três curtas-metragens portuguesas para competição: Coelho Mau, Tudo o que Imagino e A Gis.

Coelho Mau, de Carlos Conceição, produção luso-francesa, assente na relação de dois irmãos, foi selecionado para a competição nacional, depois de já ter sido apresentada no Festival de Cannes, em Maio do ano passado. Na competição internacional encontravam-se Tudo o que Imagino, de Leonor Noivo, sobre um grupo de amigos dos subúrbios de Lisboa, e a coprodução luso-brasileira A Gis, de Thiago Carvalhaes, documentário sobre Gisberta Júnior, a mulher transexual assassinada em 2006, no Porto.

O festival de Clermont-Ferrand é considerado, pelo sector do cinema, como o mais importante da Europa, dedicado à curta-metragem. A lista completa de vencedores do festival está disponível em clermont-filmfest.org

 

P24 O seu Público em -- -- minutos

-/-

Apoiado por BMW
Mais recomendações