Torne-se perito

Mais de 500 filmes e um olhar particular sobre a Estónia no festival Monstra

Fernando Galrito, director do festival de animação, anunciou presença recorde do cinema português, a reflectir a vitalidade da produção nacional. Em Lisboa, de 8 a 18 de Março.

<i>Early Man - A Idade da Pedra</i>, de Nick Park
Foto
Early Man - A Idade da Pedra, de Nick Park DR

Estónia, como país convidado, a antestreia de Early Man, de Nick Park, e o mais recente cinema de animação português estarão em Março na 18.ª edição do festival Monstra.

O Festival de Animação de Lisboa vai decorrer de 8 a 18 desse mês, com mais de 500 filmes para crianças e adultos, a exibir sobretudo no Cinema São Jorge, embora estejam previstas sessões também na Cinemateca e no Cinema Ideal, e exposições no Museu da Marioneta.

Na apresentação, esta quinta-feira, em Lisboa, o director do Monstra, Fernando Galrito, destacou a escolha da Estónia como país convidado – o primeiro país europeu a fazer filmes em estereoscopia – com a exibição de 140 obras e a presença de realizadores como Priit Parn, Kaspar Jancis e Priit Tender.

Ainda sobre a produção estónia, o festival convidou o realizador Riho Unt a apresentar em Lisboa Maria e os Sete Anões, dos estúdios Nukufilm.

O Monstra ficará ainda marcado pela antestreia de Early Man - A Idade da Pedra, do premiado autor britânico Nick Park (A Ovelha Choné; Wallace & Gromit: A Maldição do Coelho Homem), que se deslocará a Lisboa para a apresentação do filme.

Fernando Galrito referiu ainda a estreia de A Origem do Som, acompanhado com a exposição do storyboard do filme, que o realizador holandês Paul Driessen virá também mostrar em Lisboa.

Do cinema português, que o director do festival disse estar com uma presença recorde, reflexo da vitalidade da produção nacional, farão parte obras como Os 4 Estados da Matéria, primeiro filme de Miguel Pires de Matos, e mais de uma dezena de produções em competição, nomeadamente de André Ruivo, Joana Toste, Catarina Sobral, Marta Monteiro e Paulo Patrício.

Da competição de longas-metragens fazem parte, por exemplo, The Breadwinner, de Nora Twomey, que está nomeada este ano para os Óscares; Have a Nice Day, do chinês Liu Jian; e The Oddsockeaters, da checa Galina Miklinova.

Habitualmente, o festival dedica atenção ao Japão, desta vez com retrospectivas do cinema de Kunio Kato e Koji Yamamura, dois autores premiados com Óscares e que estarão em Lisboa.

Haverá ainda um programa com "grandes obras de arte da História do Cinema de Animação", como Yellow Submarine, de George Dunning, O Planeta Selvagem, de René Laloux, e Belleville Rendez-Vous, de Sylvain Chomet, convidado do festival.

O Monstra vai ainda recordar os dez anos da produtora Sardinha em Lata, e associa-se aos 70 anos do Hot Clube de Portugal, com uma sessão de cinema de animação e jazz ao vivo.

O festival volta a ter um programa específico para os mais novos, o Monstrinha, com filmes repartidos por vários níveis de ensino, dos três aos 13 anos, e alarga-se para outras localidades, nomeadamente Barreiro e Almada.