Cinco pessoas ainda recuperam dos fogos de Outubro nos Hospitais de Coimbra

Vítimas são quatro adultos e uma criança. Não correm perigo de vida, mas têm queimaduras "muito complicadas de tratar" em extensas zonas do corpo e exigem uma recuperação muito demorada.

Os feridos estão distribuídos por vários serviços dos Hospitais da Universidade de Coimbra.
Foto
Os feridos estão distribuídos por vários serviços dos Hospitais da Universidade de Coimbra. SERGIO AZENHA

Cinco feridos dos incêndios de 15 e 16 de Outubro do ano passado na região Centro continuam internadas no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) com queimaduras extensas de segundo e terceiro grau.

Segundo fonte hospitalar, trata-se de quatro adultos e uma criança que não correm risco de vida, mas que apresentam lesões "muito complicadas de tratar" e, por isso, "bastante morosas". "Dois dos adultos e a criança ainda estão entubados e ventilados e assim vão manter-se", acrescentou. As extensas lesões no corpo obrigam os feridos a deslocarem-se ao bloco operatório "uma a duas vezes por semana".

Três dos feridos adultos estão internados no serviço de queimados e outro no serviço de cirurgia plástica do pólo do Hospital da Universidade de Coimbra, enquanto a criança se encontra no serviço de queimados do Hospital Pediátrico.

Os incêndios de 15 e 16 de Outubro de 2017 atingiram particularmente 27 concelhos da região Centro e provocaram 45 mortos e cerca de 70 feridos, destruíram total ou parcialmente cerca de 800 habitações permanentes e cerca de outras tantas casas de segunda habitação, quase 500 empresas e extensas áreas de floresta.