Cuidar e reabilitar em casa por 28 euros por dia

Experiência-piloto com equipa multiprofissional que presta apoio a tempo inteiro correu muito bem em Évora

Foto
RUI GAUDêNCIO

Foi uma experiência que correu muito bem e que deverá agora ser alargada na rede nacional de cuidados continuados integrados. Os primeiros resultados da experiência-piloto da equipa de cuidados continuado requalificada, que este ano apoiou a tempo inteiro 25 doentes do concelho de Évora são "excelentes", destaca o coordenador da reforma dos cuidados continuados integrados, Manuel Lopes.

Este tipo de equipa é diferente das equipas domiciliárias convencionais porque dispõe de nove tipos de profissionais (enfermeiro, psicólogo, fisioterapeuta, nutricionista, terapeuta da fala, etc) que prestam um apoio a tempo inteiro, 12 horas por dia em regime presencial e as restantes 12 horas através do telefone.

Além de os resultados em saúde, nomeadamente na dimensão da reabilitação, serem muito bons, do ponto de vista dos custos, a factura (28 euros por dia) corresponde a menos de metade da actual resposta mais barata da rede de cuidados continuados integrados, acentua.

As pessoas permanecem em casa, onde fazem reabilitação com óptimas condições e onde é dado também apoio ao familiar, vizinho ou amigo que cuida, sintetiza Manuel Lopes, que nota que este tipo de resposta apenas é possível quando há condições para ficar em casa e quando existe um cuidador. "Ficou demonstrado não só que funciona mas que funciona muito bem. É preciso agora cativar os decisores políticos", remata.