Michael Henry/Unsplash
Foto
Michael Henry/Unsplash

Coimbra abre pós-graduação em Gestão nas Indústrias da Música

Curso tem a duração de nove meses e arranca em Janeiro no Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra

O Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra (ISCAC) — Coimbra Business School vai iniciar em Janeiro um curso de pós-graduação em Gestão nas Indústrias da Música. Objectivo: colmatar a falta de formação académica na área.

O curso terá a duração de nove meses e vai contar com  alunos de todo o país. Os estudantes podem participar nas aulas em live training (presenciadas em directo) sempre que não consigam estar presentes, é ministrado em parceria com a Associação de Músicos Artistas e Editoras Independentes (AMAEI). Segundo o presidente do ISCAC, Manuel Castelo Branco, com esta pós-graduação a instituição pretende ajudar os agentes e os intervenientes culturais — artistas, managers, agentes e técnicos — que actuam numa área onde "a necessidade de formação é total".

"Não havia até ao momento formação alguma nesta matéria", sublinha o responsável, em declarações à Lusa, apontando exemplos de artistas que por não terem "ferramentas" e "conhecimentos" de gestão e de direitos autorais, vêem muitas vezes "a sua actividade económica fortemente limitada, condicionada e não motivadora", uma vez que "toda a área negocial e económica" lhes escapa. Os promotores esperam, por isso, que o curso seja "um sucesso". Trata-se da primeira formação superior na área a ser ministrada em Portugal, país onde "há uma necessidade imensa dos artistas, dos músicos, sobretudo dos que estão em prática independente, de terem uma qualificação deste tipo".

"Hoje, sabemos que o mercado da arte, das indústrias culturais e criativas, é talvez o maior a nível mundial, e a música em Portugal tem uma tradição um horizonte de negócio imenso", reconhece o presidente do ISCAC. O responsável acrescenta que a pós-graduação, "pelo seu âmbito nacional, por ter a dimensão live training e por ser numa área que muito necessita de qualificação, contribuirá seguramente para o enraizamento da Escola de Negócios em todo o país".

A pós-graduação terá como docentes professores de gestão, músicos, managers, produtores, marketeers, juristas, contabilistas e promotores da música portuguesa. Destina-se "tanto a artistas como a empresários que queiram desenvolver um negócio ligado à música" ou ainda "a qualquer profissional que pretenda construir carreira nesta área", adianta o ISCAC em comunicado.

Ana Figueiredo, directora executiva da AMAEI e uma das coordenadoras do curso, citada numa nota de imprensa, lembra que "é muito difícil conseguir um bom arranque profissional nas indústrias da música sem ter uma formação sólida, credível, que forneça as bases para que um artista, um empresário ou um manager saibam como se podem posicionar, definir um modelo de negócio, identificar oportunidades ou perceber como tornar o seu projecto sustentável".

"Há uma enorme falta de profissionais qualificados em Portugal para a quantidade de projectos musicais que existem", assegura. Hélder Bruno, compositor e etnomusicólogo, outro dos coordenadores do curso, reconhece que "os artistas têm tudo a ganhar se frequentarem esta pós-graduação, pois vão perceber como funciona a indústria".