Maduro anuncia criptomoeda para ultrapassar bloqueio

O Presidente venezuelano anunciou a criação da moeda petro para "superar o bloqueio financeiro".

Maduro afirmou que a moeda irá ser sustentada pelas reservas de petróleo, gás, ouro e diamantes
Foto
Maduro afirmou que a moeda irá ser sustentada pelas reservas de petróleo, gás, ouro e diamantes Reuters/HANDOUT

O Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, olhou para o mundo da moeda digital como uma solução para contornar as sanções financeiras impostas pelos EUA e anunciou no domingo o lançamento de "Petro", uma criptomoeda protegida pelas reservas de petróleo, para apoiar uma economia colapsada, noticia o El País

Não adiantou as especificidades da moeda mas declarou que “o século XXI chegou!”. “A Venezuela irá criar uma criptomoeda, sustentada pelas reservas de petróleo, gás, ouro e diamantes”, disse Maduro na sua comunicação dominical na televisão nacional.

Disse que o "Petro" irá ajudar a Venezuela “a avançar nos problemas de soberania monetária, a fazer transacções financeiras e a superar o bloqueio financeiro”.

A oposição considerou o anúncio ridículo, afirmando que precisa de aprovação da Assembleia Nacional, e lançou dúvidas sobre se a moeda digital alguma vez verá a luz do dia no meio dos tumultos que o país atravessa. A moeda real, o bolívar, está em queda livre, e a Venezuela vive com carências nas necessidades básicas, como comida e medicamentos.

As sanções anunciadas por Washington também afectam a capacidade da Venezuela movimentar dinheiro através de bancos internacionais.

O anúncio de Maduro vem no seguimento da recente subida da cotação da "Bitcoin", que tem sido alimentada pelos sinais de que esta moeda digital entrou nos meios de investimento convencionais.

O anúncio do Presidente deixou perplexos alguns seguidores das criptomoedas, que normalmente não são apoiadas por governos ou banco centrais.

Na Venezuela, o controlo da moeda e a excessiva impressão de dinheiro levou à desvalorização do bolívar em 57% face ao dólar só no no último mês e no mercado negro, amplamente utilizado. Isso levou à queda do salário mínimo para os 4,30 dólares.

“É o Maduro a ser um palhaço. Isto não tem credibilidade”, disse o economista e opositor, Angel Alvarado, citado pela Reuters. “Não vejo futuro nisto”, disse outro elemento da oposição, José Guerra.

Maduro diz combater uma conspiração apoiada por Washington para sabotar o seu governo e acabar com o socialismo na América Latina. No domingo, disse que a Venezuela está a enfrentar uma “guerra mundial” financeira.

Manuel Quevedo, novo presidente da petrolífera estatal PDVSA e ministro do Petróleo, foi convocado para coordenar a equipa encarregada da criação da criptomoeda.