Acusado de assédio sexual, Charlie Rose foi despedido da CBS

Oito mulheres acusaram o conceituado jornalista e apresentador norte-americano de abusos sexuais. A PBS e a Bloomberg também cancelaram os programas apresentados por Rose.

Foto
Charlie Rose é um dos mais conhecidos rostos do jornalismo televisivo nos EUA Reuters/Lucas Jackson

Depois de oito mulheres terem relatado ao Washington Post que foram vítimas de assédio sexual por parte de Charlie Rose, o canal CBS anunciou nesta terça-feira que despediu o conceituado jornalista e apresentador norte-americano. O canal tinha já decidido, na segunda-feira, que iria suspender Rose, mas agora avançou mesmo para o despedimento.

Rose era um dos três apresentadores do programa CBS This Morning desde 2012 e colaborava ainda com o programa de investigação jornalística 60 Minutos. O canal PBS cancelou também o programa com o mesmo nome do apresentador, que estava no ar desde 1991, bem como a Bloomberg, que suspendeu a produção de um programa de entrevistas de Rose.

Nos relatos das oito mulheres obtidos pelo Washington Post, Rose é acusado de avanços sexuais indesejados como conversas telefónicas obscenas, andar nu à frente delas ou apalpões. O apresentador pediu desculpa pelo seu comportamento, mas ressalvou que algumas das acusações não são totalmente verdadeiras.

O presidente da CBS, David Rhodes, reagiu à notícia afirmando que nada é mais importante do que garantir um ambiente seguro no local de trabalho, cita a Associated Press.