Prejuízos do Novo Banco sobem para 419,2 milhões de euros

O grupo Novo Banco anunciou hoje que obteve, nos primeiros nove meses do ano, prejuízos de 419,2 milhões de euros, superiores em 8,9% aos registados no mesmo período do ano passado.

O Novo Banco já foi vendido aos americanos da Lone Star.
Foto
O Novo Banco já foi vendido aos americanos da Lone Star. Rui Gaudencio

"O Grupo Novo Banco apresentou um resultado negativo antes de impostos de 355,6 milhões de euros, melhor em 34,7% do que o resultado homólogo de 2016 mas, face à decisão de não registar impostos diferidos adicionais, apresenta um resultado líquido negativo de 419,2 milhões de euros nos primeiros nove meses de 2017, pior em 8,9% do que o valor homólogo", anuncia a instituição financeira liderada por António Ramalho.

Num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o Novo Banco diz que obteve um resultado operacional de 207,6 milhões de euros, “levemente aquém dos 217,7 milhões de euros obtidos no mesmo período do ano anterior”.

Quanto a gastos, entre Janeiro e Setembro, o banco reduziu os seus custos operacionais em 12,4% face ao mesmo período de 2016, para 394,2 milhões de euros, o que justifica com "as melhorias concretizadas ao nível da simplificação dos processos e da optimização das estruturas com a consequente redução de balcões e colaboradores".

Os gastos com pessoal caíram 8,6%, para 210,4 milhões de euros, e os gastos administrativos foram de menos 13,7%, para 152,7 milhões de euros.