Morrissey defende Kevin Spacey

O ex-vocalista dos Smiths, que lançou Low in High School na semana passada, disse à revista alemã Der Spiegel numa entrevista publicada este sábado que as alegações contra o actor acusado de assédio e abuso sexual são "ridículas".

Foto
Morrissey em 2014. © Mario Anzuoni / Reuters

Não é raro entrevistas de Steven Patrick Morrissey, ou simplesmente Morrissey, como prefere ser conhecido, gerarem cabeçalhos e causarem polémica. Afinal, é o homem que em 2010 disse que o povo chinês era "uma subespécie" por causa da forma como trata os animais. Os mais recentes comentários polémicos aconteceram numa entrevista pela revista alemã Der Spiegel, a propósito do 11.º álbum a solo do ex-vocalista dos The Smiths, Low in High School. Na conversa publicada este sábado e citada pela BBC, Morrissey falou sobre os recentes casos de assédio e abuso sexual de Hollywood e diz que as definições dessas práticas se tornaram demasiado abrangentes. "Qualquer pessoa que tenha dito 'gosto de ti' a outra pessoa está de repente a ser acusada de assédio sexual", alegou.

O cantor disse que as acusações de Anthony Rapp, o actor de Star Trek: Discovery que disse ter sido, aos 14 anos, assediado por Spacey quando este tinha 26, não lhe soavam "credíveis" e que lhe "parecia que Kevin Spacey tinha sido atacado desnecessariamente" – isto apesar de haver mais duas dezenas de acusadores. Ainda explicou que nunca tinha estado em situações parecidas na sua infância: "Nunca. Sempre estive consciente do que poderia ter acontecido. Quando se vai ao quarto de alguém, é preciso estar-se ciente do que pode acontecer."

Sobre Harvey Weinstein, acusado por mais de 50 mulheres de assédio ou abuso, Morrissey, apesar de, diz, se opor a qualquer tipo de violência sexual, afirma que em muitos dos casos que têm vindo a público "a pessoa a que se referem como vítima está simplesmente desapontada". "As pessoas sabem o que se passa. E entram no jogo. Depois, sentem-se envergonhadas ou malquistas. Depois viram-se e dizem: 'Fui atacada, fui surpreendida.' Mas se tudo tivesse corrido bem, e se lhes tivesse proporcionado uma grande carreira, não falariam sobre isso."

Morrissey referiu ainda que "ao longo da história da música e do rock 'n' roll houve músicos que dormiam com groupies", disse, negando ser um deles, e que quase todos tinham dormido com menores. "Por que não pôr logo toda a gente na prisão?"

Na semana passada, estreou-se em Portugal England is Mine - Descobrir Morrissey, um biopic não-autorizado dos anos formativos do cantor antes de ingressar nos Smiths, cujo terceiro álbum, The Queen is Dead, datado de 1986, foi recentemente reeditado.