Massacre no Texas não teve motivação racial, religiosa ou política

Autoridades enquadram ataque a igreja baptista de Sutherland Springs num contexto de violência familiar, afastando um cenário de terrorismo ou de violência política.

Vizinhos da igreja prestam homenagem às vítimas do ataque de domingo
Foto
Vizinhos da igreja prestam homenagem às vítimas do ataque de domingo Reuters/RICK WILKING

O autor do ataque de domingo a uma igreja baptista no Texas, Estados Unidos, onde 26 pessoas foram mortas a tiro, estava envolvido numa “disputa doméstica”, estando de momento afastada qualquer motivação política, religiosa ou racial para o massacre.

Numa conferência de imprensa em Sutherland Springs, um porta-voz do departamento de segurança interna do Texas, Freeman Martin, revelou que Devin Kelley terá feito ameaças à sogra através de mensagens de telemóvel. Os sogros do atirador frequentavam a igreja, mas não estavam no local no momento do ataque, durante a missa de domingo.

Kelley tinha um historial de violência doméstica, tendo sido anteriormente condenado por agressões à mulher e a uma criança.

“Isto não teve motivações raciais. Não teve a ver com crenças religiosas. Havia uma disputa doméstica com a família e os sogros”, sublinhou o responsável. Não está aberta qualquer investigação a actos de terrorismo.

Esta informação ganha relevância num momento em que a opinião pública norte-americana volta a debater a questão do acesso a armas de fogo na sequência de mais um tiroteio a causar dezenas de vítimas mortais. Recorde-se que foi há pouco mais de um mês que 58 pessoas foram mortas a tiro num concerto em Las Vegas, no pior massacre do género na história dos Estados Unidos.

A partir do Japão, o Presidente Donald Trump tinha declarado que não se estava perante "um problema relacionado com armas", mas antes com um "acto de maldade" ligado a "problemas mentais". 

Atacante não tinha licença de porte de arma

Na conferência de imprensa desta segunda-feira, Freeman Martin revelou que a polícia apreendeu três armas na cena do crime e no veículo do presumível autor da matança: uma pistola de 9 mm, outro revólver de 5,6 mm e a arma semi-automática com que o atirador terá matado as vítimas na igreja.

Terão sido compradas legalmente, apesar de ter sido negada a Kelley a atribuição de uma licença de porte de arma.

O responsável texano confirmou ainda que o atirador de 26 anos tinha sido dispensado da Força Aérea por "má conduta", um castigo aparentemente relacionado com a condenação por violência doméstica e que, de acordo com a lei, impederia Kelley de adquirir uma arma de fogo.

Estão também por apurar as circunstâncias exactas da morte do atirador, que foi perseguido por um civil armado e mais tarde encontrado sem vida dentro de um automóvel.

Conhecem-se também novos detalhes sobre as vítimas. A mais nova tinha apenas 18 meses. A mais velha tinha 77 anos. Entre os mortos estão oito elementos de uma família. A comunidade rural de Sutherland Springs perdeu cerca de 4% da população no ataque de domingo.