No jornal do PS lê-se que Presidente "exorbitou claramente os seus poderes"

Um artigo de Simões Ilharco apela à esquerda para que combata "a tentação presidencialista de Marcelo, que ameaça a democracia".

Marcelo está, neste momento, nos Açores
Foto
Marcelo está, neste momento, nos Açores Miguel Manso

Marcelo “exorbitou claramente os seus poderes constitucionais” e tem revelado “demagogia e populismo”. Estas duas ideias estão hoje num artigo assinado por Simões Ilharco, um jornalista na reforma, e publicado no Acção Socialista, o jornal oficial do PS. As críticas ganham especial relevo no dia em que o PÚBLICO escreve, na sua primeira página, que o Governo está em choque com o Presidente da República nesta fase de rescaldo aos incêndios.

Simões Ilharco começa por escrever sobre a moção de censura apresentada pelo CDS, e reprovada pela geringonça, mas depressa faz pontaria ao Presidente da República. “Foi, também, a primeira vez, no Portugal de Abril, que um Presidente da República reclamou, publicamente, a demissão de um ministro e a remodelação do Governo. Marcelo exorbitou, claramente, dos seus poderes constitucionais.”

O colunista acrescenta um conselho à esquerda: “A esquerda deve estar unida e coesa, para impedir esta caminhada preocupante e perigosa, combatendo a tentação presidencialista de Marcelo, que ameaça a democracia. E o presidencialismo, é bom ter presente, descamba, por vezes, em ditadura”.

As críticas a Marcelo continuam e demonstram que o PS ainda não tinha digerido o discurso presidencial feito a seguir aos incêndios de meados de Outubro. "A afirmação do Presidente de que, devido à tragédia dos incêndios, se sente como tendo levado uma sova monumental é corriqueira e revela demagogia e populismo. Marcelo parece querer assumir-se como homem providencial, como salvador da Pátria, mas olhe que a Pátria está boa e recomenda-se!", escreve Simões Ilharco, defendendo que os incêndios não vão prejudicar eleitoralmente o PS.

A directora do jornal oficial do PS, Edite Estrela, demarcou-se das críticas feitas ao Presidente da República, afirmando que no Acção Socialista "não há censura".

"Como está lá claramente expresso no jornal, os artigos de opinião só responsabilizam os seus autores e mais ninguém. No Acção Socialista há liberdade de expressão, não há censura. Espero que não estranhem que há liberdade de expressão", disse Edite Estrela aos jornalistas.

Edite Estrela, deputada socialista, falava em declarações aos jornalistas no Parlamento: "Se a deputada Edite Estrela tivesse essa visão escrevia-a. Não a escreveu", acrescentou.

O Acção Socialista é dirigido por Edite Estrela e tem apenas uma versão digital. Foi a Rádio Renascença que começou por noticiar a reacção de Simões Ilharco no jornal oficial do PS. Marcelo Rebelo de Sousa está, até sábado, de visita aos Açores.