Actriz acusa Bush pai de a ter apalpado, ex-Presidente desculpa-se por "tentativa de humor"

Heather Lind, de 34 anos, está a ser criticada por "desvalorizar a realidade" das vítimas de abusos sexuais e violência doméstica.

Foto
George Bush (de cadeira de rodas) durante um concerto de apoio às vítimas dos furacões Richard Carson/Reuters

A actriz norte-americana Heather Lind queixa-se de ter sido apalpada por George Bush há quatro anos, quando o antigo Presidente norte-americano tinha 89 anos e já estava confinado a uma cadeira de rodas. A acusação foi feita na rede social Instagram e motivou um pedido de desculpas do gabinete de Bush. Mas vários utilizadores dizem que a actriz está a desvalorizar casos graves de abuso sexual como o que envolve o produtor de Hollywood Harvey Weinstein.

A acusação de Heather Lind poderia até ter passado despercebida se o gabinete do ex-Presidente não tivesse reagido oficialmente, num comunicado enviado ao jornal britânico Daily Mail: "O Presidente Bush nunca afligiria – em circunstância alguma – alguém, e pede desculpas sinceras se a sua tentativa de fazer humor ofendeu a senhora Lind."

Lind tem hoje 34 anos e na época participava na série Espiões de Washington, do canal AMC – segundo ela, o caso aconteceu durante uma acção de promoção da série, em Houston, no Texas.

"Quando tive a oportunidade de conhecer George H. W. Bush há quatro anos, durante a promoção de uma série de televisão em que eu trabalhava, ele abusou sexualmente de mim quando eu estava a posar para uma fotografia. Não me apertou a mão. Tocou-me por trás, sentado na cadeira de rodas, com a sua mulher, Barbara Bush, a seu lado. Contou-me uma anedota porca", escreveu a actriz no Instagram (a fotografia e o texto foram entretanto apagados da sua conta).

October 25, 2017 ">

Na imagem em causa vê-se o ex-Presidente sentado na sua cadeira de rodas ao lado de Heather Lind e rodeado por seis outras pessoas – Barbara Bush e cinco outros actores da série "Espiões de Washington". A fotografia foi tirada durante uma apresentação privada do primeiro episódio da série, em 2014.

No post entretanto apagado a actriz diz que o ex-Presidente norte-americano a apalpou uma segunda vez na mesma ocasião, e que a mulher, Barbara Bush, "revirou os olhos, como que a dizer 'outra vez, não.'"

"O segurança disse-me que eu nunca deveria ter ficado ao lado dele na fotografia", disse ainda Heather Lind.

No breve comunicado enviado ao jornal Daily Mail, o gabinete do ex-Presidente não desmentiu a versão de Lind – mas sublinhou que tudo o que George Bush fez naquele dia foi "uma tentativa de fazer humor".

O post no Instagram foi apagado mas, como é comum nestes casos, vários utilizadores fizeram captações de ecrã – na secção de comentários há mensagens de apoio à actriz, mas também muitas críticas.

"Você é horrível. Ele tinha 89 anos e tem uma forma de demência e parkinsonismo vascular. Você não foi abusada sexualmente, e está a rebaixar as pessoas que sofrem abusos sexuais. Isto não é um assunto político. Eu nunca votei no Bush nem noutro republicano em toda a minha vida, mas isto não é correcto", escreveu uma utilizadora.

Outra criticou a actriz pelo que considera ser uma comparação errada entre este caso e as acusações de abusos sexuais reiterados ao longo de anos, como o que envolve o produtor Harvey Weinstein ou o realizador James Toback, entre outros.

"Não estou a negar a 'verdade' de ninguém, e não estou a dizer que o assédio ou o abuso sexual não provocam medo e vergonha às vítimas. Estou apenas a dizer que nem todos os casos são iguais. E se acha que este post vai ajudar as mulheres encurraladas e espancadas pelos maridos, as mulheres que vão ser brutalmente violadas esta noite, as meninas que estão a ser destruídas pelos seus protectores, então está muito enganada. Tudo o que isto faz é desvalorizar a realidade delas. Isto não é ser-se corajosa", escreveu outra utilizadora.

George H. W. Bush foi Presidente dos Estados Unidos entre 1989 e 1993 – sucedeu ao também republicano Ronald Reagan e perdeu a reeleição para Bill Clinton, do Partido Democrata. Tem 93 anos e foi diagnosticado na última década com parkinsonismo vascular – uma doença relacionada com os danos que ocorrem no cérebro devido a vários derrames cerebrais, geralmente sem tremores mas muitas vezes acompanhada de perda de capacidades e faculdades mentais.

Bush desloca-se com a ajuda de uma cadeira de rodas pelo menos desde 2012, e não esteve presente na tomada de posso do Presidente Donald Trump, alegando problemas de saúde. Em Julho de 2012, numa entrevista à revista Parade, descreveu assim a forma como a doença o afecta e como lida com ela: "Chama-se parkinsonismo vascular. Só afecta as pernas. Não provoca dor. Dizemos às pernas para elas se mexerem e elas não se mexem. É estranho, mas se tivermos mesmo de ter uma doença com um nome mau, então esta é uma das melhores para se ter."