Rio reúne-se segunda-feira em Coimbra, Santana janta com militantes em Pinhel

Os dois candidatos estão prontos para ir para o terreno para conquistar o voto dos militantes. O até agora provedor da Santa Casa parte primeiro.

Rui Rio vai reunir-se segunda-feira com toda a máquina" da campanha
Foto
Rui Rio vai reunir-se segunda-feira com toda a máquina" da campanha Adriano Miranda

Antes de ir para a estrada falar com os militantes para apresentar as linhas estratégicas da sua candidatura à liderança do PSD, Rui Rio quer reunir-se primeiro com as estruturas concelhias e distritais do partido e com todos os operacionais que estão no terreno para preparar a sua “volta nacional”, que há-de começar por estes dias.

Agendado para Coimbra para o fim da tarde, o encontro de Rui Rio coma "máquina" da campanha acontece segunda-feira, um dia depois de Pedro Santana Lopes apresentar a sua candidatura à liderança do partido, no Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas de Santarém.

Nesta sexta-feira à noite, o ex-presidente da Câmara do Porto participou numa assembleia com militantes do distrito de Viseu, no âmbito da candidatura do ex-autarca social-democrata, organizada pela estrutura local do partido, liderada por Pedro Alves, que ainda não tomou posição oficial sobre os candidatos à liderança do PSD.

Enquanto David Justino, antigo consultor de Cavaco Silva para os Assuntos Sociais, prepara a moção de estratégia com que vai disputar a liderança, Rio testa a “máquina” antes de se fazer à estrada. “Rio percebe que tem que montar a máquina, antes de se lançar no contacto com os militantes”, afirma um apoiante do antigo secretário-geral de Marcelo Rebelo de Sousa.

“Estamos a preparar a volta nacional que Rui Rio vai fazer pelo país para estar em contacto com os militantes”, afirma Salvador Malheiro, presidente da Câmara de Ovar e coordenador geral da campanha, acrescentando que não há um formato único, pode variar distrito a distrito, concelho a concelho. Mas há uma certeza: “Rui Rio vai privilegiar o formato sessão de esclarecimento”, diz o líder da distrital de Aveiro, adiantando que “estão previstas também "sessões temáticas dirigidas a nichos específicos": militantes mais jovens e empresários, por exemplo.

Para além do contacto directo com os militantes,  Malheiro diz esperar que a disputa interna para a liderança do partido sirva também para “contagiar a sociedade civil, relançado a imagem do PSD, porque o PSD é um partido de poder”.

Quanto ao programa da próxima semana, o autarca de Ovar não quer, para já, dar grandes detalhes sobre o que está previsto, desculpando-se com o argumento de que o programa ainda não está fechado. 

Aparentemente, Pedro Santana Lopes parece estar mais adiantado, mesmo sem ter ainda toda a "rede" fechada, na qual se incluem os mandatários distritais e concelhios que foram escolhidos a dedo. O até agora provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa prepara-se, segundo fontes ligadas à candidatura, para ir para o terreno logo no início da semana.

Ao que o PÚBLICO apurou, Santana Lopes estreia-se num jantar com militantes no concelho de Pinhel, distrito da Guarda, cujos pesos pesados do partido estão, assumidamente, com Rio como é o caso de Álvaro Amaro, presidente da Câmara da Guarda e da Associação dos Autarcas Sociais-Democratas, e do líder da distrital do PSD, Carlos Peixoto.

Acontece que a candidatura de Santana quer capitalizar os "apoios" que o antigo primeiro-ministro tem vindo a receber das bases do partido no distrito e, por isso, arrisca um jantar com militantes para criar uma nova onda de apoio, no qual participará o presidente da Câmara de Pinhel, Rui Ventura, que está ao lado do candidato.