Cria'ctividadede volta a Coimbra para três semanas alternativas à praxe

Até 5 de Outubro, as Repúblicas de Coimbra organizam uma iniciativa que apresenta várias sugestões de integração para os novos alunos, que não passa pela praxe.

Amanhã à tarde, há partilha de apontamentos e um sunset na República Rápo-Táxo.
Foto
Amanhã à tarde, há partilha de apontamentos e um sunset na República Rápo-Táxo. SERGIO AZENHA (colaborador)

Um grupo de estudantes de Coimbra volta a dinamizar, pelo quarto ano consecutivo, o Cria'ctividade, um projecto que durante três semanas propõe actividades de integração alternativas à praxe. Ao longo de três semanas, haverá concertos dos mais diversos géneros, do rock ao hip-hop, yoga, um sunset na República Rápo-Táxo, um debate sobre o direito à habitação e outro sobre feminismo, um jantar popular, uma tarde de basquetebol e futsal e a produção de um mural com oficina de graffiti.

O programa arranca esta segunda-feira com uma exposição de fotografia na Real República do Bota-Abaixo e com cinema às 22h00, no Largo de São Salvador, disse à agência Lusa a organização.

Durante o programa, que termina a 5 de Outubro, decorre ainda uma feira da ladra e artesanato na Real República dos Corsários das Ilhas, uma competição de poesia autoral e sessões de cinema. Catarina Reis, um dos membros da organização, destaca que o evento vai contar com "actividades fora e dentro das repúblicas".

Procurando afirmar-se como uma iniciativa alternativa à praxe sem ser contra a mesma, todos os eventos do Cria'ctividade são de entrada gratuita, realçou. "Ao longo do ano, fazemos festas para financiar o projecto, que ainda consegue ser auto-sustentável", explicou, referindo que, por não estar constituída uma associação, o programa não pode celebrar protocolos com a Câmara de Coimbra ou com a Universidade.

Segundo Catarina Reis, "ainda é um projecto pequeno e com poucas pessoas a trabalhar. Não há os meios que gostaríamos de ter". Por isso, a constituição de uma associação "é uma possibilidade", disse.

O Cria'ctividade realiza-se desde 2014 e, apesar de ser uma alternativa à praxe, está aberto a todos - praxistas ou não praxistas - e aposta principalmente em actividades culturais como meio de integração dos estudantes de Coimbra.