Miss América: da paz no mundo às críticas a Donald Trump

Vencedora do concurso criticou decisão do Presidente de retirar os EUA do Acordo de Paris. A concorrente do Texas condenou postura face à violência em Charlottesville.

Cara Mund, de 23 anos, foi eleita Miss América
Foto
Cara Mund, de 23 anos, foi eleita Miss América Reuters/MARK MAKELA

Cara Mund foi eleita a nova Miss América, tornando-se na primeira concorrente do estado de Dakota do Norte a vencer a competição que se realiza há quase 100 anos. Mas a vitória desta estudante de 23 anos não foi o que mais se destacou na noite de domingo; foram as críticas com que a vencedora zurziu o Presidente norte-americano, Donald Trump.

É comum as vencedoras deste tipo de concursos realizarem um discurso de vitória centrado nos apelos à paz do mundo e à defesa do ambiente. E este caso não foi excepção. No entanto, numa sessão de perguntas e respostas, já no final do concurso, Mund foi questionada sobre a decisão de Trump de retirar os EUA do Acordo de Paris sobre as alterações climáticas. “Acho que foi uma má decisão”, defendeu. “Quer acreditemos ou não [nas alterações climáticas], precisamos de estar na mesa das negociações”, disse, segundo a Reuters.

A vencedora da competição não foi a única a criticar Trump. Margana Wood, a concorrente do Texas, também em resposta a uma pergunta, criticou a postura do Presidente face aos incidentes que envolveram manifestantes de extrema-direita em Charlottesville, e que resultaram na morte de uma pessoa. “Foi muito óbvio que foi um ataque terrorista, e penso que o Presidente Donald Trump deveria ter feito um comunicado sobre esse facto mais cedo, e garantindo que todos os americanos se sentissem seguros no seu país. Esse é a prioridade número um neste momento”.