Escolhidas empresas para apresentarem projectos para muro entre os EUA e o México

Durante os próximos meses vão ser construídos os protótipos do muro que Trump prometeu.

Vedação na fronteira entre o México e os EUA
Foto
Vedação na fronteira entre o México e os EUA Reuters/JOSE LUIS GONZALEZ

O “muro grande e bonito” prometido por Donald Trump para a fronteira entre os EUA e o México começa a ganhar forma. Pelo menos, a um nível reduzido. O Governo dos Estados Unidos escolheu quatro empresas que vão passar os próximos meses a construir protótipos de betão para o muro – mesmo sem qualquer garantia de que o projecto venha a ver a luz do dia.

Dentro de duas semanas, as quatro construtoras deverão iniciar os seus projectos que devem ficar concluídos durante o Outono, de acordo com a Agência de Protecção Fronteiriça e Aduaneira dos EUA. A escolha das empresas representa “um marco significativo”, disse o vice-comissário da agência, Ronald Vitiello. “Este é o primeiro resultado tangível da acção de planificação que está a decorrer”, acrescentou o responsável.

Mais de 200 construtoras apresentaram projectos para o concurso e as queixas de algumas das excluídas atrasaram o processo, de acordo com o Washington Post.

Os protótipos terão nove metros de altura por nove de largura e depois de construídos serão alvo de vários testes não só à sua resistência, mas também ao seu “valor estético”. “Os testes vão analisar coisas como a estética, quão penetráveis são, quão resistentes são a intrusões e escaladas”, disse Vitiello. Cada uma das empresas escolhidas irá receber cerca de 500 mil dólares (419 mil euros) para financiar o seu protótipo, diz o Washington Post.

Mas o muro que Trump quer ver construído tem embatido constantemente no muro da realidade. O Congresso deu luz-verde a um orçamento de 20 milhões de dólares para financiar os protótipos – na próxima semana serão escolhidas construtoras para produzir modelos que não utilizem betão – mas recusa libertar fundos para a construção do muro.

Na semana passada, o Presidente norte-americano ameaçou mesmo paralisar o Governo e a Administração Pública, caso não fosse dado aval orçamental ao projecto. “O povo americano votou a favor do controlo da imigração. Essa é uma das razões pela qual estou aqui, e isso é o que o povo americano merece – e é isso que irão ter”, afirmou Trump.

A construção de um muro para travar a imigração ilegal foi uma das promessas mais controversas do magnata da construção durante a campanha eleitoral, tanto por razões humanitárias, como pela própria impraticabilidade do projecto. A ideia inicial de Trump era edificar um muro ao longo dos mais de três mil quilómetros de fronteira entre os EUA e o México.

Porém, mais de mil quilómetros da fronteira foram já vedados, durante o segundo mandato de George W. Bush. Para além disso, existem igualmente barreiras naturais, tais como cadeias montanhosas e rios, que impedem travessias, tornando inútil a construção de vedações artificiais.