Três dos cinco feridos da explosão em Alfama já tiveram alta

Acidente em prédio ocorrido no domingo teve origem em explosão de gás. Entre os feridos estão dois franceses, dois alemães e uma portuguesa.

Foto
LUSA/MIGUEL A. LOPES

Três dos cinco feridos na explosão num prédio de Alfama, em Lisboa, já tiveram alta, disse esta segunda-feira o vereador da Segurança e Protecção Civil da Câmara de Lisboa, Carlos Castro, corrigindo o número total de feridos avançado inicialmente.

Em declarações aos jornalistas no local do incidente, o autarca disse que os seis feridos avançados inicialmente são afinal cinco, uma vez que foi prestada a assistência a uma pessoa que estava na zona do incidente, mas que "era uma situação distinta".

Por isso, a explosão ocorrida no último domingo num prédio em Alfama provocou cinco feridos: "dois franceses, dois alemães e uma portuguesa".

De acordo com Carlos Castro, o casal francês, uma das pessoas de nacionalidade alemã e a portuguesa foram transferidos para o Hospital de São José, em Lisboa, e já tiveram todos alta hospitalar à excepção da pessoa de nacionalidade alemã que ainda permanece no hospital com ferimentos ligeiros.

Já o outro ferido de nacionalidade alemã foi encaminhado para os Hospitais da Universidade de Coimbra, por "entendimento dos técnicos" que o socorreram, não havendo ainda informação do seu estado clínico.

Neste sentido, permanecem hospitalizados dois feridos, ambos de nacionalidade alemã, um no Hospital de São José e outro nos Hospitais da Universidade de Coimbra.

Os feridos estavam todos dentro do edifício no de cinco pisos momento da explosão, no número 59 da Rua dos Remédios, em Alfama.

Os apartamentos situados no andar em que ocorreu a explosão estavam destinados a alojamento local. Questionado sobre a origem do incidente, o vereador da Segurança e Protecção Civil indicou que "foi uma explosão de gás".