Juncker pediu desculpa a Tajani por ter considerado o Parlamento Europeu "ridículo"

Presidente da Comissão Europeia terá entregue carta ao líder do Parlamento Europeu manifestando o seu arrependimento pelas considerações de terça-feira.

LUSA/OLIVIER HOSLET
Foto
LUSA/OLIVIER HOSLET

O presidente da Comissão Europeia, Jean Claude-Juncker, escreveu uma carta a Antonio Tajani pedindo desculpa pela intervenção em que considerou o Parlamento Europeu “ridículo”, noticia o Politico citando fontes parlamentares.

Na manhã da passada terça-feira, perante o hemiciclo quase vazio, em Estrasburgo, Juncker afirmou que o Parlamento Europeu é "ridículo, completamente ridículo". A sessão era dedicada à análise dos primeiros seis meses da presidência rotativa do Conselho Europeu estava quase vazia, o que irritou Juncker.

A intervenção gerou críticas de vários deputados, incluindo do presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani. "Pode criticar o Parlamento, mas não é função da Comissão controlar o Parlamento — é o Parlamento que tem de controlar a Comissão", disse na altura.

Agora, noticia-se que Juncker se encontrou em privado com Tajani no mesmo dia do sucedido e que o luxemburguês lhe entregou uma carta em mão. “Caro Antonio, desculpe-me por perder a compostura esta manhã. Arrependo-me por este incidente. Você sabe o respeito que eu tenho pelo Parlamento”. Este é, segundo o Politico, o teor da nota entregue pelo presidente da Comissão Europeia.

Esta quarta-feira o porta-voz da Comissão, Alexander Winterstein, revelara já que Juncker tinha manifestado o seu arrependimento por escrito. Depois do encontro em privado entre os dois, Tajani declarou que o assunto era “caso encerrado”.