Há nove escolas sem actividades de enriquecimento curricular

“Não houve, na maioria dos casos, manifestação de necessidade destas actividades”, justifica Ministério da Educação.

Foto
A oferta criada em 2006 chega a 99,7% das escolas do 1.º ciclo Adriano Miranda

Mais de 282 mil estudantes do 1.º ciclo tiveram, ao longo deste ano lectivo, actividades de enriquecimento curricular (AEC) nas suas escolas. A oferta educativa complementar criada em 2006 está generalizada a quase toda a rede de ensino nacional e chega a 99,7% das escolas. A excepção são nove estabelecimentos de ensino. O Ministério da Educação não revela quais são.

De acordo com o relatório publicado pela Direcção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC), seis destas nove escolas onde não há AEC localizam-se em Lisboa e Vale do Tejo. As restantes três estão na região Centro. O Ministério da Educação recusou dizer ao PÚBLICO quais são estas escolas, informando apenas que se tratam de estabelecimentos “de reduzida dimensão”, que pertencem a três agrupamentos. “Não houve, na maioria dos casos, manifestação de necessidade destas actividades”, justifica fonte da tutela.

Estas nove escolas são uma excepção no universo de 3455 estabelecimentos nacionais deste nível de ensino. Ao todo, 282.579 alunos tiveram AEC neste ano lectivo. Este número corresponde a 86,3% dos estudantes matriculados no 1.º ciclo do ensino básico, um valor que corresponde a uma quebra ligeira em relação ao ano lectivo anterior, em que 87,9% dos alunos tinham tido esta oferta.

Os dados da DGEEC mostram, à semelhança do que aconteceu em anos anteriores, grandes diferenças regionais na frequência das actividades de enriquecimento curricular. É no Norte que um número mais elevado (88,6%) de alunos do 1.º ciclo tem esta oferta. Pelo contrário, no Algarve apenas 72,4% dos alunos tiveram estas actividades ao longo deste ano lectivo.

Em quase todas (98%) as turmas do 1.º e 2.º anos de escolaridade a duração das AEC é de cinco horas semanais, sendo superior para as restantes. Já no 3.º e 4.º anos de escolaridade, a duração é de três horas semanais em 82% das turmas. O menor número de horas dedicadas às AEC na segunda metade do 1.º ciclo prende-se com a obrigatoriedade do ensino de inglês a partir do 3.º ano, que reduz as horas disponíveis para a restante oferta complementar.