Papa pede a Trump que se empenhe na paz

Francisco ofereceu ao Presidente dos EUA encíclica sobre a necessidade de defender o ambiente. Trump ofereceu-lhe livros de Martin Luther King.

Foto
O Presidente dos EUA foi ao Vaticano acompanhado da mulher, Melania, da filha Ivanka e do genro ALESSANDRA TARANTINO/EPA

No muito antecipado encontro entre o Papa e Donald Trump no Vaticano, Francisco pediu ao Presidente dos Estados Unidos que se empenhasse em fazer a paz. Trump prometeu que não se esqueceria da mensagem do Papa.

São conhecidas as posições divergentes dos dois líderes, em matérias de migração e aquecimento global. No ano passado, Francisco disse que um homem que pensa em construir muros e não pontes “não é cristão”, uma crítica dura à promessa de Trump de construir um muro ao longo da fronteira dos EUA com o México.

Já o Presidente dos EUA respondeu que era “vergonhoso” que o Papa argentino, que representa os dois mil milhões de cristãos que existem em todo o mundo, questionasse a sua fé. “Se o Vaticano fosse atacado pelo Daesh,  que toda a gente sabe que é o derradeiro troféu dos terroristas, garanto-vos que o Papa rezaria que Donald Trump fosse Presidente”, assegurou, ainda em campanha eleitoral

Neste encontro de meia-hora no Vaticano, em que falaram através de intérpretes, não houve sinais dessa animosidade, relatam a Reuters.

O Presidente norte-americano chegou ao Pátio de São Dâmaso no Vaticano, rodeado de fortes medidas de segurança e uma comitiva presidencial de meia centena de veículos. Chegou com a sua mulher, Melania, a filha mais velha, Ivanka Trump, e o genro, Jared Kushner. "É uma grande honra", disse o chefe de Estado dos EUA.

A seguir à reunião a dois, houve uma troca de presentes e apresentação da comitiva norte-americana, que incluiu o seu secretário de Estado, Rex Tillerson, e o conselheiro de Segurança Nacional, Herbert Raymond McMaster.

O Presidente ofereceu ao Papa uma colecção de livros de Martin Luther King, um ícone da luta pela igualdade e pelos direitos civis nos Estados Unidos. Do chefe de Estado do Vaticano, Trump recebeu uma cópia em inglês de uma mensagem que incluiu no seu discurso para o Dia Mundial da Paz, este ano, e assinada pelo próprio e três das suas principais encíclicas, incluindo a de 2015 que sublinha a necessidade de proteger o ambiente.

Os dois despediram-se com uma última mensagem do Presidente: "Obrigado. Não me esquecerei do que disse".

Donald Trump reúne-se agora com o secretário de Estado do Vaticano, Pietro Parolin. Após a reunião, voará para Bruxelas para uma conferência da NATO, quinta-feira. Mais cedo, ao deixar a sua visita ao Médio Oriente, o Presidente prometeu ajudar os israelitas e os palestinianos na luta pela paz. A visita começou com uma paragem por dois dias na Arábia Saudita, durante o fim-de-semana, pedindo a todos os países muçulmanos para assumirem a liderança e combaterem o radicalismo.